Biketech Floripa

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Quer saber qual é a último acessório fashion na Europa? Bicicleta. Sim, ela, que já esteve na moda no final do século 19, voltou renovada: agora ela é uma sustentável, econômica e inteligente alternativa ao carro. Tão na moda que originou até outro termo para a nova onda: o cycle chic.

O movimento surgiu em 2006 na Dinamarca, onde foi criado o blog Copenhagen Cycle Chic. A ideia era mostrar como as pessoas se vestiam para andar de bicicleta na capital mundial do ciclismo. Desde então, surgiram vários blogs do gênero por todo o mundo, mostrando que é possível aliar moda e pedais. O termo “cycle chic” foi criado pelo blogger Mikael Colville-Andersen para o site. Ao lado de Marie, sua parceira, Mikael percorre Copenhagen e flagra os ciclistas mais fashions que desfilam pelas ruas da cidade, fazendo uma espécie de editorial de moda sobre duas rodas. Colville-Andersen já foi chamado de “The Sartorialist” (blog de street style mais conceituado do planeta) em duas rodas.

Desde 2006, quando o blog começou, muitos outros sites do gênero surgiram por todo o mundo, mostrando que é possível aliar moda e pedais. Nessas imagens, nada de ciclistas vestidos com roupas coladinhas (constrangedoras para grande parte dos homens), como leggings, ou largonas, como os abrigos.

A ideia sustentada pelos seguidores do movimento é a de que é possível pedalar com suas roupas do dia a dia, de acordo com a sua personalidade e, claro, com a ocasião.

Até mesmo de vestido, saia, terno e (porque não?) os desejáveis pares de sapato Louboutin é possível pedalar com estilo.

Aqui no Brasil, o movimento também teve eco. São Paulo, Curitiba e Porto Alegre são algumas das capitais que já contam com grupos de cycle chic, onde meninas divulgam ações em que defendem o uso da bicicleta com elegância.

Alinhada com os preceitos da onda, a estilista Ana Carol Vivian montou com o marido, André Costa, o site Pedarilhos, onde divulgam ideias de reciclagem e ecologia, entre outros temas.

– Para pedalar no dia a dia não precisa vestir aquelas roupas coladinhas. É possível usar as mesmas roupas que você usa para trabalhar ou estudar – defende a estilista, que se desloca para o trabalho de calça jeans e sapato, sob duas rodas.

Fonte: Diario Catarinense (somente assinantes)

2 comentários:

  1. Muito interessante!
    Mostrar que a bike é e pode ser um acessório (indispensável, a meu ver!) que faz parte do cotidiano das pessoas. Aqui não é tão comum pedalar com roupa casual, mas em outros países é como entrar e sair do carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim, a roupa casual costuma ser mais usada quando o ciclista pedalará uma distância não muito longa (até uns 10 km) e num relevo razoavelmente plano, ou seja, ideal para a grande parte de Floripa.
      Entretanto, aqui a falta de segurança e ainda o preconceito inibem bastante as pessoas de pedalarem. Sendo assim, restam os ciclistas que, além de pedalar, curtem competir e que normalmente se vestem esportivamente.
      Valeu pelo comentário! :)

      Excluir