Biketech Floripa

domingo, 15 de janeiro de 2017

Você sabia? 


O whey – nutriente que compõe as barras de Supino Protein da Banana Brasil - reúne proteínas de alto valor biológico!  

Em outras palavras, contém todos os aminoácidos - as moléculas constituintes das proteínas - de que o nosso organismo necessita mas é incapaz de fabricar. 

Além de muito utilizada por atletas, whey protein pode ser indicada para idosos com o fim de auxiliar na reposição muscular. A partir dos 70 anos, homens e mulheres perdem de 20% a 40% da força muscular. E aproximadamente 30% das pessoas nessa fase da vida apresentam sarcopenia — doença caracterizada pela perda muscular. Graças à sua fácil e rápida digestão, o suplemento pode diminuir os efeitos dessas perdas. Porém, é necessário que o idoso passe por uma orientação nutricional antes de começar a suplementação.

Clique aqui para conhecer os excelentes produtos Supino Protein da Banana Brasil.

Questão de peso 


A proteína também tem ação emagrecedora. Isso porque ela promove a sensação de saciedade. A whey ainda aumenta a ação de hormônios inibidores do apetite, como colecistoquinina e glucagon. E ainda afeta de forma positiva a redução de gordura em função de seu teor de cálcio. Conclusão: adotada em dietas, auxilia no controle glicêmico e preserva a massa muscular.

Fonte: Revista Viva Saúde



Fonte: Web Venture Uol


Vai fazer cicloturismo? Saiba escolher a bicicleta Ideal


Uma boa magrela e acessórios de qualidade certamente não te deixarão na mão

Há um velho lema do cicloturismo que diz que a melhor bicicleta para viajar é aquela que você tem. Isso demonstra a simplicidade do cicloturismo, em que não é necessário um grande investimento inicial para começar na prática. Mas esta regra tem um limite, porque não é indicado fazer qualquer viagem com qualquer bicicleta.

Conforme vamos aumentando a complexidade dos roteiros que escolhemos, também se faz necessário um equipamento mais específico. Isso para não termos dor de cabeça de quebras e manutenções excessivas durante a viagem.


Ter uma bicicleta de boa qualidade evita perrengues
Ter uma bicicleta de boa qualidade evita perrengues


Partindo em busca da bicicleta ideal, muita gente pensa em importar uma clássica de cicloturismo europeia, porém ela não é apropriada ao tipo de cicloturismo mais comum por aqui, predominantemente em estradas de terra e terreno muito íngreme. Já uma bicicleta tipo Mountain Bike clássica também não é indicada para o nosso cicloturismo, por não fornecer o conforto necessário para longas horas de pedal e por dias seguidos.


As estradas de terra no Brasil requerem uma bike diferente das européias. Foto: arquivo pessoal
As estradas de terra no Brasil requerem uma bike diferente das europeias.

Assim, nós criamos o conceito de “Mountain Touring” para o cicloturismo brasileiro. Ou seja, é uma Mountain bike personalizada para viagens de bicicleta em terrenos difíceis.

Não há uma bicicleta que seja boa para todas as pessoas em todas as ocasiões, pois há uma infinidade de opções de acessórios e ajustes a serem feitos. Porém, observando a nossa bicicleta e da maioria dos viajantes de longa data, vemos vários aspectos em comum que destacaremos aqui. São vários detalhes, mas cada um tem um porquê.


Investir em acessórios não é luxo, mas sim segurança.
Investir em acessórios não é luxo, mas sim segurança.










  • Quadro: ideal modelo com furação superior e inferior para adaptação de bagageiro e furação para duas caramanholas;
  • Guidão: modelo mais alto para maior conforto;
  • Selim: ideal um mais largo e macio que os de competição;
  • Suspensão: de boa qualidade para suportar o peso extra da bolsa de guidão e alforje dianteiro;
  • Marchas: ideal uma relação mais leve para encarar subidas com a bicicleta carregada;

  • Componentes – o grupo deve ser de boa qualidade, nem top de linha, nem simples demais;

  • Freios – tipo V-brake pela facilidade de manutenção;
  • Rodas – tamanho 26” pela facilidade de encontrar peças de reposição. Com aros de boa qualidade e raios de inox;
  • Acessórios – espelho retrovisor amplo e plano, descanso lateral reforçado para suportar peso dos alforjes, para-lamas para pneus largos, manoplas e bar ends amplos para melhor apoio, campainha e firma-pés.
    A bike precisa ser resistente para suportar o peso das bolsas e alforges.
    A bike precisa ser resistente para suportar o peso das bolsas e alforges.

    O planejamento de uma viagem de bicicleta envolve muitos aspectos, como preparação física, escolha da rota, equipamento, etc. A bicicleta é mais um entre eles, mas com certeza é um dos que merecem mais atenção antes da viagem. Uma bicicleta bem pensada e adaptada para viagens elimina uma série de problemas e preocupações durante a jornada.

    Clube de Cicloturismo


    Esta é uma coluna do Clube de Cicloturismo do Brasil, que tem como objetivo difundir e incentivar a prática de se viajar de bicicleta. A filosofia do Clube é que qualquer pessoa pode organizar e realizar sua própria viagem de bicicleta, bastando para isso que tenha informações e planejamento necessários.


  • Viajar utilizando como meio de transporte a bicicleta. Esta é a definição de cicloturismo, atividade saudável, econômica e ecológica, que a cada dia incorpora mais adeptos no Brasil. Atividade muito comum na Europa, o turismo com bicicleta permite conhecer melhor os locais por onde se passa e ver de perto outras culturas, costumes e paisagens.

    O Cicloturismo é um tipo de lazer sobre a bike que lhe permite conhecer novos lugares, num ritmo adequado, se integrando à natureza, passeando se divertindo, mas também lidando com os imprevistos e situações um pouco complicadas.

    Por ser um assunto interessante, mas também bem extenso, disponibilizarei alguns links e algumas matérias. Pesquisando pela internet, você encontrará muita coisa legal.

    CicloAbraços!

    Links interessantes



    Treinamento para uma viagem de bicicleta

    Estar fora de forma não é desculpa para deixar de fazer uma viagem de bicicleta.Ou melhor, o que queremos dizer é que a viagem de bicicleta é que deve ser uma boa desculpa para nos colocarmos em forma. Dizemos isso, pois, ao contrário do que muita gente pensa, não é necessário ser nenhum atleta para fazer uma viagem de bicicleta. Praticamente qualquer pessoa pode se tornar um cicloturista. A prova disto é que a maioria dos cicloturistas não são atletas.

    Qual é a dificuldade de se estabelecer um treinamento para o cicloturismo?
    O cicloturismo não é como as competições, por exemplo, em que se sabe de antemão, com uma boa precisão, o tempo e a distância do percurso a ser cumprido. No cicloturismo, não existem regulamentos então, se você quiser pedalar diariamente 120km em 6 horas ou então 50km em 8 horas, não tem nada que te impeça.

    A partir daí, já se pode ver que o treinamento também é um tanto livre. Depende mais do seu objetivo e das condições físicas em que você se encontra. Se você quer fazer uma viagem, como se diz, comendo chão, com média de 20km/h ou mais, então vai ter que treinar neste nível. Agora, se velocidade e quilometragem não são coisas tão importantes para você, então o treinamento pode ser mais leve, visando apenas uma preparação da musculatura e principalmente da resistência física. A musculatura referida é do corpo todo e não só das pernas. É importante que braços, costas e pescoço também estejam familiarizados com a posição. Além das nádegas é claro, que irá passar muitas horas, ou melhor, dias apoiada no selim.

    Então como dimensionar esse treinamento? Essa é uma questão que não tem uma resposta muito precisa. É um tanto pessoal. O importante é que não haja degraus muito grandes entre cada um dos treinos, e entre o treino e a viagem. Podemos, por exemplo, enxergar o treinamento como algo parecido com uma rampa. Começa lá embaixo, nas condições físicas que você se encontra no início e vai subindo suavemente até o objetivo que você acha plausível atingir.

    Mas o importante é não querer estabelecer um tempo fixo entre o início e o fim da rampa, isto é, não forçar o organismo a se adaptar a um planejamento feito no papel. Cada organismo reage de forma diferente ao treinamento, uns respondem mais rapidamente e outros menos. Assim, a não ser que você tenha um treinador pessoal e se submeta a diversos testes (o que não é indispensável para um cicloturista), vá aumentando o tempo de treino, as distâncias e o esforço físico de forma natural, um pouquinho de cada vez.

    Treinamentos forçados, que exigem esforços físicos acima do que se está acostumado, causam muitas vezes lesões de recuperação muito lenta, como distensões ou problemas de joelho, que normalmente inviabilizam ou pelo menos adiam a viagem pretendida por um longo tempo.

    No caso de uma competição, por exemplo, a tal rampa de treinamento teria seu ápice provavelmente antes do dia da prova. Esta é a grande diferença no caso de uma viagem. No cicloturismo, a viagem não precisa estar no fim da rampa. Você pode começar a viajar mesmo antes de estar na sua melhor forma física. Basta que você não esteja completamente sedentário e sinta que já tem condições de pedalar por muitas horas seguidas. E isto não é muito difícil. Depois, com o passar dos dias, seu condicionamento continua melhorando, e o ápice da rampa é atingido durante a própria viagem.

    Sabendo das suas condições físicas, você vai adequando o planejamento das etapas diárias da viagem. É importante chamar a atenção para o fato de que nos treinos com a bicicleta descarregada a performance geralmente é muito mais alta. Por isso, tome o cuidado de levar isto em conta quando colocar peso em cima da magrela. Numa pedalada com bastante peso, em local de relevo acidentado, seu desempenho pode cair até pela metade. Assim, distâncias ou tempos não são boas medidas quando se trata de passar do treinamento para a viagem. É mais importante que o esforço seja mantido constante. E este é um tipo de medida onde não existem números, ou seja, é totalmente subjetivo, somente você pode avaliar.

    Lembre-se que você é o dono da sua viagem. Se achar que precisa passar um, dois ou mais dias parados para um descanso após vários dias pedalados, não há motivos para não o fazer. A musculatura também precisa de descanso para se desenvolver bem.

    Dicas:

    • Não chegue próximo de seus limites. Mantendo uma folga para o organismo, sempre temos a garantia de que amanhã a viagem continua. E você nunca está livre de ter uma pequena surpresa como uma pedalada extra de 20 ou 30 km no final do dia, por conta de algum imprevisto.
    • Faça alongamento sempre. O alongamento é um alívio para a musculatura tensa que trabalha por muito tempo. Alongue-se antes, durante e após a pedalada.
    • Antes da viagem, faça pedaladas curtas com a bicicleta carregada para verificar a sua alteração de desempenho devido ao peso extra.
    • Faça treinos longos, com a duração de um dia inteiro, pelo menos uma vez a cada dez ou quinze dias.
    Clique aqui para acessar ler esta matéria no site original, publicada por Eliana Britto Garcia e Rodrigo Telles

    sábado, 14 de janeiro de 2017


    Viaje de bicicleta pelo Piraí


    O primeiro circuito de cicloturismo da região de Joinville, "Circuito de Cicloturismo da Região do Piraí", existe desde 2011.

    A ótima sinalização (25 placas de sinalização instaladas no circuito) permitem que os cicloturistas possam pedalar e apreciar o lindo percurso de 39 quilômetros, numa região rica em mata atlântica, rios, cascatas, arrozais e conhecer as propriedades que remetem à história da imigração em Joinville.


    Para os experientes na atividade, o circuito é considerado curto. Há pontos de descanso ao longo do trajeto; portanto, não é preciso ser atleta para percorrer o local. O roteiro foi pensado e elaborado em 2010, e foram realizadas inúmeras visitas a campo, de carro e de bicicleta. "Este será o primeiro roteiro organizado de cicloturismo em Joinville. A proposta é para que se amplie para as demais regiões do município", disse Vinicius Boneli Vieira, coordenador de turismo em áreas naturais.



    Outro objetivo é desenvolver uma atividade turística na região aliada à conservação e preservação ambiental, por estar inserida na APA Dona Francisca. "Estamos investindo em ações que proporcionem um fluxo de turistas conscientes, que usufruam os serviços oferecidos na região e fomentem o desenvolvimento do turismo com sustentabilidade", afirma Vanessa Venzke Falk, gerente de planejamento da Fundação Turística de Joinville.

    A realização deste circuito é resultado da parceria entre a Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema), que investiu R$ 8 mil na sinalização, e a Fundação Turística de Joinville (Promotur), idealizadora da proposta. Também conta com o apoio do Movimento Pedala Joinville, da Associação do Turismo Eco-rural, proprietários rurais, além de agências e operadoras de turismo.

    Quem tiver interesse em conhecer o circuito pode obter mais informações na Fundação Turística (47 3453-2663) ou pelo 0800 643 5015.

    LINKS ÚTEIS
    . Pedala Joinville - Circuito do Piraí
    . Cartilha do Circuito do Piraí
    . Pedalando no Circuito do Piraí



    VÍDEOS
    O vídeo abaixo exibe o Registro do lançamento oficial do Circuito Piraí, de Joinville - SC.






    Pedalada de Inauguração do Circuito de Cicloturismo na região do Piraí, em Joinville SC; apenas a rota até o Salto do Rio Piraí.




    Pedal feito em Joinville - SC/BR
    Recomendamos este pedal à todos!!
    Abraços, Casal Pedal - Valmir Kiss e Alcione Fernandes



    sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

    ATENÇÃO para treino no percurso! :)

    › Data: 15/01/17 (domingo)
    › Horário de Saída e Concentração: 7:00
     Local: Cascata do Encanto em Camboriú
    › Trajeto: Percurso PRO – 115 km.
    › Nível: Intermediário-Avançado.

    ATENÇÃO: 
     Também teremos grupos de pedal » 70 km e Light 35 km

     INFORMAÇÕES:
     (47) 3349.1511 - Demarchi Biciclette
     Página no Facebook

    #desafiomarciomay #mountainbike


    Para mais informações sobre a Competição, CLIQUE AQUI!



    . Data: 12/02/2017
    . Horário: 09:00
    . Local: Laguna - SC

    Como andam os treinamentos? Em dia? :)

    Se for o caso, ainda dá tempo de começar, mas não pode demorar, pois ...

    FALTAM APENAS 30 DIAS!!!

    Para obter muitas informações sobre a IMPERDÍVEL 1ª Etapa do Circuito SOUL de MTB, CLIQUE AQUI!

    Se quiser já garantir seu lugar, aproveite e

    LINK ÚTIL
    Página SPRINTA

    quarta-feira, 11 de janeiro de 2017


    Veja só estes dois excelentes eventos que acontecerão na próxima sexta e sábado (13 e 14/01/2017).

    São dois eventos distintos e complementares:
    1o) Apresentação CicloTrilhas : vc conhecerá o excelente trabalho voluntário realizado pelo CicloTrilhas em várias trilhas de Floripa;
    2o) Pedal MTB - Trilha JP: vc pedalará numa das melhores trilhas de Floripa: Trilha do JP localizada no bairro João Paulo.

    Confira os detalhes dos eventos e BORA PARTICIPAR! :)




    Apresentação CicloTrilhas Floripa

    . Data: 13/01/2017 (sexta feira)
    . Horário: 19:00 às 22:00
    . Local : Bike Tech Floripa (Rodovia Admar Gonzaga 1187 Itacorubi, 88034-000 Florianópolis)
    . Evento no Facebook (neste link vc pode confirmar sua presença)

    Nesta sexta convidamos o grupo CicloTrilhas Floripa para uma apresentação sobre o trabalho nas trilhas da cidade, e você também é nosso convidado para assistir!


    A Bike Tech Floripa recebe o CicloTrilhas Floripa para falar sobre o trabalho de legitimação e conservação das trilhas para Mountain Bike em Florianópolis.

    Venha prestigiar o trabalho deste grupo que vem desenvolvendo diversas intervenções em trilhas já existentes e também trabalha na criação de novos traçados, sempre utilizando técnicas internacionalmente reconhecidas de manejo e conservação. 

    Entre os trabalhos mais conhecidos é a Trilha do JP, que será o destino do nosso pedal de sábado de manhã.



    Pedal MTB - Trilha do JP (#02/2017)

    . Data: 14/01/2017 (sábado)
    . Horário: 9:00 às 12:00
    . Local de Saída : Bike Tech Floripa (Rodovia Admar Gonzaga 1187 Itacorubi, 88034-000 Florianópolis)
    Evento no Facebook (neste link vc pode confirmar sua presença)


    Chegou a hora da tão esperada Trilha do JP! Bora pedalar!
    Atendendo aos pedidos que há tempos já clamavam por uma ida a uma das trilhas mais conhecidas da cidade atualmente, neste sábado vamos finalmente sair da inércia e conhecer a dita cuja para encarar um MTB de verdade.
    A trilha leva esse nome por causa do bairro onde fica: João Paulo, pertinho da Bike Tech Floripa. Ela tem vários trechos com dificuldades diferentes, inclusive algumas partes bem técnicas, mas a maior parte pode ser feita por quem tem um pouco de familiaridade com sua MTB. 

    Os caminhos se conectam e formam um circuito ininterrupto, com um sobe e desce constante, perfeito para praticar todas as habilidades e ficar horas se divertindo sem ter que se preocupar com a distância do retorno para casa.

    . Informações completas no blog neste link 
    . Clique aqui e participe do nosso clube no Strava


    Ótimo texto com ótimas dicas!

    Fonte: Bike Dica


    Ciclistas, como todo atleta, precisa de muito líquido. Assim começam as recomendações e teorias de quanto beber durante um passeio ou treino. Além do quanto o que beber. 
    As indústrias de suplementos adoram fornecer estudos e mais teorias, todas apontando para beber mais e, claro, o seu produto. Mas para clarear isso, uma revista americana consultou alguns especialistas e abaixo temos o resumo da conversa.

    /1

    Mito: Reponha tudo que você perder
    Por muitos anos a recomendação era pesar no fim de uma corrida ou passeio de bike tanto quanto no começo, ou seja, beber tudo que você suou. Mas o corpo não consegue absorver líquidos na mesma velocidade do que perde. Portanto se você tentar fazer isso vai ter que dar umas paradinhas.
    Verdade: Reponha parte do que foi eliminado por transpiração.
    Beba 75% do que você sua durante uma corrida longa. Para fazer isso primeiro você precisa saber sua taxa de sudorese. Ou seja, saber quanta água você coloca pra fora por hora. Para fazer isso, basta se pesar antes e depois de um treino de uma hora. Não se esqueça de descontar a água que você tomar durante esse teste. Com esse valor em mãos, você saberá o quanto tomar de água a cada hora de treino.

    /2

    Mito: Beber o que der pouco antes de partir
    Você só vai conseguir arrumar umas paradas a mais no caminho. Como foi dito antes o corpo demora um pouco para absorver os fluídos.
    Verdade: Beba ao longo do caminho
    Ingira 500 ml de alguma bebida esportiva uma ou duas horas antes da corrida. Esse tempo é o suficiente para o corpo absorver o que precisa e eliminar o resto. Depois dois ou três goles de isotônico a cada 15 ou 20 minutos durante a corrida.

    /3

    Mito: Cafeína desidrata
    A cafeína já foi demonizada de várias maneiras, inclusive como diurética. Assim, consumi-la durante a corrida faria você perder mais líquidos e aumentar o estresse pelo calor com o aumento dos batimentos cardíacos e o metabolismo.
    Verdade: Cafeína só aumenta a queima de carboidratos.
    Uma pesquisa revelou recentemente que a cafeína não faz você ir mais vezes ao banheiro do que outra bebida. Também não influencia nos efeitos do calor na trilha. Ao contrário, a cafeína faz você sentir melhor. Diminui sua percepção de cansaço e faz você ir mais longe. A universidade de Birmingham, na Inglaterra, observou que ela faz os carboidratos de uma bebida para esportistas serem queimados 26% mais rápidos dos que o de uma que não tenha cafeína na fórmula. Ela faz a glucose ser absorvida mais rapidamente pelo intestino.

    /4

    Mito: Você precisa mais proteína
    Inicialmente, as bebidas para esportistas eram essencialmente carboidratos. Mas com o tempo a proteína achou uma maneira de se enfiar no meio apoiado num estudo que dizia que a combinação dos dois melhorava a resistência, mais do que só carboidratos.
    Verdade: Você precisa de muito pouca proteína.
    Recente pesquisa com 10 atletas percorrendo um circuito de 80 km mostrou que o rendimento dos que usaram bebidas só com carboidrato foi o mesmo dos que usaram os combinados de carboidrato e proteína. E esses dois grupos tiveram rendimento superior aos que beberam água aromatizada. E ainda, se você é um ciclista de longa distância, muito provavelmente ira comer algo durante o trajeto, isso já será suficiente para o pouco de proteína que pode precisar.

    /5

    Mito: Hidratação durante o exercício é um mandamento Divino.
    Ora, isso é o que as empresas que vendem isotônicos que você pense para estar sempre com a garrafinha deles na mão, mesmo que seja para uma volta no quarteirão.
    Verdade: O importante é beber água todo o dia e de forma regular
    O mandamento da natureza é estar em dia com a hidratação. Isso quer dizer, beber água ao longo do dia. Uma pessoa só se desidrata fazendo exercícios moderados se não tem o hábito de beber água sempre, mesmo quando não esta com sede. Se você se mantém hidratado, não correrá o risco de uma desidratação em um passeio moderado. A regrinha dos 8 copos diários é uma boa base.
    Fonte: Ciclofemini - por Cláudia Franco


    1. Para os atletas, profissionais ou amadores o consumo insuficiente de água certamente o impedirá de conseguir atingir a sua melhor capacidade de desempenho e a falta de água pode causar sérios problemas de saúde.

    2. A água é imprescindível. Sem ela a vida não existe. Qualquer organismo vivo depende do consumo de água incluindo qualquer um de nós.

    3. Nosso sangue circula como um oceano dentro de nós. A hidratação adequada garante um bom volume de  sangue, que é responsável pelo transporte de nutrientes para as células e eliminação de toxinas, prevenindo fadiga, queda de concentração, cefaleia e tontura. Com o sangue mais fluído, a água facilita a absorção de sais minerais e vitaminas, principalmente as do complexo B, que são hidrossolúveis, promovendo uma pele mais viçosa, cabelos mais brilhantes e unhas saudáveis.

    4. Um fator importantíssimo é que a água ajuda a regular a nossa temperatura corporal. A água atua como mecanismo fisiológico de resfriamento do corpo. Ela regula a temperatura ao absorver e liberar calor pela produção e evaporação do suor.

    5. Como atleta você tem uma necessidade especial de água. Quando você pratica um esporte ou atividade física, você queima muita energia de alimentos (chamada de calorias). 

    6. A energia liberada auxilia a musculatura. Mas essa energia é liberada como calor e a água impede o superaquecimento. A sudorese e evaporação da pele fazem você esfriar. No entanto, a água é perdida no processo de resfriamento. Isso pode ser perigoso se a água não for reposta.

    7. Se você pratica atividade física com pouca hidratação, seu corpo pode superaquecer, como um carro cujo motor  aquece quando o fluido de arrefecimento está baixo. 

    8. Perder apenas dois por cento da água do corpo pode prejudicar o desempenho. Uma perda de cinco por cento pode causar exaustão pelo calor. Uma perda de 7% a 10% pode resultar em derrame e morte. A desidratação pode matar.

    9. Com atividade física intensa os tecidos precisam ser reparados. Toda atividade metabólica requer uma abundância de nutrientes e energia para os tecidos do corpo e os resíduos precisam ser levados para fora do corpo.

    10. A água auxilia na produção de enzimas digestivas, suco gástrico, saliva e muco de todo o trato digestivo, garantindo uma boa digestão e absorção de nutrientes, hidrata as fibras dos alimentos, aumentando o volume do bolo fecal, regularizando o funcionamento intestinal.

    11. A água facilita o trabalho de filtragem pelos rins, eliminando toxinas e diminuindo o risco de 
    aparecimento de infecções urinárias e cálculos (pedras).

    12. A quantidade e qualidade adequadas das lágrimas (líquido lacrimal) oferecem uma maior proteção contra infecções por vírus e bactérias.

    13. A água é importante para a produção de saliva, facilitando a mastigação e reduzindo os resíduos alimentares. A escovação dentária, tendo como aliada a quantidade ideal de saliva, diminui o risco de aparecimento de cáries.

    14. O centro da fome e da sede se encontram na mesma estrutura cerebral, chamada de hipotálamo. Portanto, muitas pessoas confundem a sensação de sede com a de fome. Garantindo uma boa hidratação, a tendência é que se ingira uma quantidade menor de comida, podendo auxiliar na manutenção ou até na perda de peso. Ingerir água gelada é melhor ainda, pois o organismo deverá aquecê-la para sua posterior absorção e isso exige um gasto calórico.

    15. A água combina-se a moléculas viscosas para formar fluídos lubrificantes para as articulações.

    16. Sede é o sinal do seu corpo que você precisa beber água.

    17. Quando você sente sede, você já pode ter perdido um por cento para dois por cento da sua água. Isso é suficiente para mudar o seu desempenho. 


    18. Mas só beber o suficiente para satisfazer sua sede não é o adequado para atender as necessidades do seu corpo. 

    19. Se você beber apenas o suficiente para satisfazer a sua sede, seu corpo pode levar até 24 horas para reidratar totalmente suas células e recuperar o máximo do seu desempenho.

    20. Quando você participar de um evento esportivo ou uma sessão de treinos, não espere até que você esteja com sede para beber água, beba mais do que o suficiente para certificar-se que estará totalmente reidratado.

    21. A água permite que tudo isto aconteça.

    22. Água é vital para o crescimento, reparação e atividade física do seu corpo.

    Fonte: Universidade de Illinois, EUA

    segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

    Segue convite para um Tradicional e Excelente Evento Cicloturístico! :)


    7º PEDAL DO BARQUINHO!!!

    PERCURSO: Nível Leve/Passeio, 85 km
    . Data: 29/01/17
    . Horário: 7:00
    . Local de saída: Ciclovil Bike - Rua Dom Pedro II, 813 - Campinas / SJ

    KIT ATLETA
    - Camisa Ciclismo
    - 1 Par de Chinelos
    - Mochilinha 
    - Vale Travessia / Barco
    - Placa identificação Bike
    - Brindes dos Apoiadores 
    - Hidratação (Frutas, Suco Prat's e Água)

    APOIO
    - Carro Abre Grupo e Carro Fecha Grupo
    - Duas Motos com Capitães 
    - Mecânico 
    - 15 Capitães de Bike 

    INSCRIÇÕES
    Valor:
    . Até 23/01/17: R$ 118,00 = CHINELO
    . Adquirentes da camisa do Pedal Nova Trento: R$ 49,00


    CLIQUE AQUI para se inscrever

    LINK ÚTIL
    . Site Risco Zero Adventure
    . Evento no Facebook

    ORGANIZAÇÃO, DÚVIDAS E CONTATO
    . Grupo Pedal Continente
    . Ciclovil Bike - (48) 3241-1763
    . João Paulo - (48) 9153-3628
    . Silvana - (48) 9615-8595



     O pedal será dividido em duas partes, a primeira que se encerra no Ribeirão da Ilha (extremo Sul da Ilha de Florianópolis) onde os ciclistas percorrerão cerca de 40 km passando por Bairros como Abraão, Coqueiros, José Mendes, Carianos, Tapera e finalmente o Ribeirão da Ilha.





    Com o auxilio de pescadores artesanais da região e suas baleeiras (barcos de pesca), todos os participantes juntamente com suas bicicletas terão como novo destino o lindo Litoral da Palhoça, atravessando a Baia Sul que divide o extremo Sul da Ilha de Florianópolis com a Palhoça. Todos desembarcarão na praia da Enseada do Brito, protegida pelo gigante e belo Morro do Cambirela com seus exatos 1043 m de altitude, sendo a maior montanha do Litoral de Santa Catarina e compondo o começo da Serra do Tabuleiro.




    Após a travessia de Barquinho teremos um almoço para todos os participantes na Associação Vida Nueva, equipe que realiza um lindo trabalho para retirar pessoas das ruas.

    Teremos sorteios de brindes e um descanso merecido com muita harmonia com a natureza do local.

     A segunda parte do passeio se dará por praias e Bairros do Município Palhocense, partindo da praia da Enseada do Brito, passando pela Praia de Fora, Bairro Aririú, Centro de Palhoça, Ponte do Imaruí e novamente retornando ao Município de São José, passando pelo Centro Histórico, Beira de São José. E, finalmente, depois de 80 km de muitas risadas, lindos registros, calorias liberadas a chegada merecida com aquele gostinho de quero mais. 

    O grupo Pedal Continente acredita que desta forma estará contribuindo para que outras pessoas comecem a utilizar este ótimo e saudável meio de transporte não poluente para não só compor seus momentos de lazer, mas que possam sim utilizar a bicicleta como meio de transporte sustentável e que só faz bem a quem utiliza e no final todos são beneficiados com uma Cidade com menos carros, menos poluição e muito mais qualidade de vida.

    Obrigado a todos que já fizeram e irão fazer parte desta linda festa na 7ª edição do Pedal do Barquinho 2017.