Biketech Floripa

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Saiba o que é e como prevenir a condromalácia patelar

Fonte: Prologo Ativo

Ilustração: Erika Onodera e Alexandre Affonso
O joelho é, sem dúvida, a articulação do corpo mais exigida durante o pedal. Considerado o calcanhar de Aquiles dos ciclistas, é preciso sempre estar atento a dores localizadas. Elas possivelmente são indício de algum problema que, se não tratado prontamente, pode se tornar crônico devido ao esforço repetitivo. 

É o caso da condromalácia patelar, uma das lesões mais comuns em joelhos de ciclistas. A seguir, o dr. Moisés Cohen, chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, explica o que é e como prevenir o problema. 

O que é
A condromalácia ou condropatia patelar é uma lesão crônica e degenerativa que danifica a cartilagem articular da patela, comprometendo sua estrutura. Ela pode acometer desde a superfície até as camadas mais profundas, chegando até a exposição do osso subcondral (osso abaixo da cartilagem). 

Diagnóstico
A lesão é caracterizada por dor na região anterior do joelho, associada à crepitação (barulho no joelho) e/ou ao derrame articular — nos casos mais avançados, pode haver bloqueio da articulação. A partir do sintoma, deve-se fazer a avaliação clínica, com auxílio de ressonância, que detalha a localização, extensão e profundidade da lesão.

Causas
A sobrecarga de atividade física, o desequilíbrio muscular por falta de fortalecimento e alongamento, os desvios de eixo do membro inferior (joelhos para dentro ou joelho valgo) e a presença de alterações na anatomia normal do joelho são fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da condromalácia patelar.

Tratamento
O tratamento, na maioria dos casos, é conservador. Indica-se fisioterapia especializada e um posterior trabalho de fortalecimento e alongamento muscular específico para o problema. A intervenção cirúrgica só é necessária em casos avançados da lesão, nos quais não se obteve boa resposta com o tratamento conservador.

Prevenção
A prevenção deve ser feita com a identificação e correção — quando possível — dos fatores de risco. Além disso, exercícios de fortalecimento e alongamento muscular, quando frequentes e direcionados, contribuem para evitar a lesão ou sua progressão — nesse caso, é fundamental que eles sejam orientados levando em conta os déficits encontrados na avaliação feita pelo fisioterapeuta.

Fortalecimento
Exercícios para o fortalecimento da musculatura abdominal e do quadril são muito importantes, pois auxiliam na estabilidade do tronco e da bacia, o que interfere diretamente na posição dos joelhos. Assim, devem-se fortalecer glúteos, isquiotibiais (posteriores da coxa) e adutores, além dos abdominais e dos músculos ao redor da cintura.

Alongamento
Os exercícios de alongamento devem abranger todos os grupos musculares dos membros inferiores — flexores, extensores, adutores e abdutores — e de preferência ser feitos com orientação de um profissional.

Matéria publicada na revista VO2 Bike, edição 100

Comentários de Bikers
. Biker 1 - Tive este problema, fui em médicos, fiquei em repouso, tomei medicamentos e nada, tava com medo e pensava que nunca iria voltar a pedalar, até que resolvi ir no Dr Carlos Eduardo foi o que resolveu meu problema, com o tratamento da Apiterapia Olistica (Picadas de Abelhas) , depois de apenas 3 sessões voltei a pedalar sem dor nenhuma..simplesmente estas abelhinhas são milagrosas...

. Biker 2 - Tenho condromalácia patelar, diagnosticada há uns 4 anos. O segredo é: alongar e muito os posteriores de coxa. Faça isso te garanto que suas dores irão reduzir quase que 100%, o Pilates seria o ideal neste caso!!!

Categories:

8 comentários:

  1. Também tenho, diagnosticado a pelo menos uns 4 anos, nos dois joelhos em grau 2 (no total de 4) , Nada de exageros na bike e musculação para reforçar os músculos não usados na pedalada, tal com o bíceps femural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela contribuição! Quanto mais informações melhor! :)

      Excluir
  2. Hey, pensei que eu fosse unanimidade neste assunto mas pelo jeito tenho alguns parceiros kkkk, Meu caso evoluiu de condromalácia (condro = cartilagem / malácia = amolecimento) para condropatia (condro = cartilagem / patia = doença) devido a uma formação anômala do meu joelho aliado à má musculação. Em outras palavras, como a patela (rótula) do meu joelho é um pouco desalinhada com o centro do mesmo, meus instrutores da academia deveriam ter reparado isso e evitado me passar exercícios de cadeira extensora e agachamento. Pois foi bem o que me mandaram fazer quando eu disse que queria “botar força no pedal”!!! Foi por pura falta de conhecimento destes profissionais que minha doença evoluiu.... Brabo né!?
    De qualquer forma, estou melhorando (já uns 90%) e estou estritamente proibido de fazer esses exercícios.
    Na bike, tudo legal. Selim bem alto para evitar ao máximo a flexão do joelho e, por enquanto, evitar subidas ao máximo (eu adoro um morrinho kkkkkk).
    De qualquer forma, meu médico informou que, o que me salvou de algo pior foi o bom tônus muscular do quadríceps (coxa) e o bom alongamento dos membros posteriores, pois consigo encostar as palmas das mãos no chão sem dobrar os joelhos.

    ResponderExcluir
  3. Alguém já foi submetido ao tratamento com medicação? Alguns médicos orientam tomar condroitina, porém a medicação só teria efeito se tomada por um longo período (no mínimo + de 6 meses/todos os dias).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Toni! Infelizmente não sei lhe responder. Espero que algum leitor possa ajudá-lo.

      CicloAbraços! :)

      Excluir
    2. Suplementação: Condroflex + Mobility (1 sachê de cada, 1x por dia). Cuidado com flexora e agachamento (esqueça de vez). Hidroginástica (3 dias) e natação (2 a 3 dias). Exercícios de fortalecimento com loop bands, caneleiras e halteres. Façam esse procedimento para retardar o avanço. Quando começa, o processo de desgaste é mais rápido. Independente do grau (mesmo 1 e 2. Piorando grau 3) esquecer de vez o agachamento e flexora (mesmo com adaptação e angulação). Tem como fortalecer o quadríceps e reto femural sem flexionar o joelho. Bicicleta gera muito impacto para um joelho lesionado. A lesão é irreversível, mas, sim, progressiva. Além de médico, sou portador de condropatia grau 3.

      Excluir
    3. Valeu pela colaboração Rogério Corrêa!

      Excluir