Cicles Hoffmann

Tabela de Eventos

Evento

Titulo

Sete motivos para NÃO pedalar na quarentena do coronavírus

Fonte: Pedal.com.br

A pandemia de coronavírus (Covid-19) que está assolando o planeta e, infelizmente, ainda parece estar longe do fim, está criando um dilema muito grande em algumas pessoas. Isso porque, principalmente para quem é esportista, ficar em casa sem treinar e sem "ver o mundo" é extremamente frustrante, e quem pedala sabe que bastam alguns dias longe sem andar de bicicleta para gerar uma angústia muito grande.

Porém, no mundo inteiro, a maior recomendação para que este problema se resolva o quanto antes é ficar em casa e evitar sair para a rua até que haja recomendação contrária. Nós, do Pedal.com.br apoiamos totalmente esta recomendação - que já virou ordem em países com França, Itália e Espanha, que proibiram o uso recreacional e esportivo da bicicleta.

Abaixo, em conversa direta do Pedal.com.br com o médico Dr. Eduardo Davidovich (CRM 5260910-0), com doutorado em neurologia pela universidade federal Fluminense (UFF), inumeramos alguns motivos para seguir esta recomendação. Além disso, no fim do texto você vai encontrar um detalhe que, ao menos no Brasil, pode significar a diferença entre a vida e a morte.

Atualizações e Esclarecimentos - 23 Março - Ao final do Artigo

Porque não andar de bicicleta durante a pandemia de coronavírus (Covid-19) ?
Em resumo, esses são os motivos, que vamos detalhar abaixo:

1. Você pode se contaminar mesmo pedalando sozinho

2. É preciso evitar hospitais durante a pandemia do coronavírus

3. Cada vez que você sai, o vírus pode voltar com você

4. Sua imunidade pode baixar se você exagerar

5. Criminalidade - Uma particularidade do Brasil

6. Descobertas sobre o o vírus ainda estão sendo feitas

7. Você pode ter problemas com a justiça e sua comunidade

Foto: QBike

1 - Você pode se contaminar mesmo pedalando sozinho
Muitos acreditam que, tomando os devidos cuidados e evitando o contato com terceiros, o risco de contaminação não existe. Porém, há indícios de que isso não é verdade.

Já foram encontrados vírus nas fezes e na urina, e também indícios que o vírus pode sobreviver em água limpa (sem cloro) / esgoto por até 2 dias. Essa água / esgoto pode estar no asfalto ou estrada de terra em poças. Se esta água respigar na roupa ou pior, na sua caramanhola, existe o risco de você se contaminar - pense em todas as vezes que o pneu dianteiro jogou alguma coisa no seu rosto ou que outro veículo passou em uma poça, mesmo pequena, jogando água em você.

Uma das fontes (Organização Mundial da Saúde), diz até a data do artigo (3 de Março), não ter identificado casos desse tipo de transmissão, porém a fonte da MedSpace, de 18 de Março, sugere que essa possibilidade é muito plausível. Não sabemos se existem estudos nessa direção. A recomendação do Dr. Eduardo Davidovich é evitar esse tipo de contato.

Fontes:  Fonte 1 - MedScapeFonte 2 - WHO (Organização Mundial da Saúde) - Link AlternativoFonte 3 - PaperFonte 4 - MMSD


2 - É preciso evitar hospitais durante a pandemia do coronavírus
Em muitos países do mundo e em algumas cidades do Brasil, o sistema de saúde já está em colapso. Segundo Luiz Mandetta, ministro da Saúde, o número de infectados vai disparar em Abril, e a previsão é que o sistema de saúde do Brasil entre em uma crise profunda em hospitais públicos e particulares, e isso gera diversos problemas óbvios, principalmente em casos de acidentes de bicicleta.

Digamos que você sofra uma pequena fratura, torção ou um pequeno corte que precise de pontos, algo bem comum para quem pedala. Se você precisar ir para o hospital, lembre-se que ele estará lotado de pessoas com coronavírus, e suas chances de contágio são altas. Neste caso, você terá que ficar em isolamento total, o que é bem pior do que ficar em quarentena, além de poder servir de vetor para a doença, contagiando outras pessoas, inclusive dentro da sua própria casa.

Em cidades onde o sistema já está travado, você pode simplesmente nem receber atendimento e, em casos de acidentes mais sérios que exigem internação, você estará pegando a vaga de alguém que precisa, além de aumentar consideravelmente suas chances de ser contaminado durante sua internação. Lembre-se que a pessoa que vai ficar sem atendimento por coronavírus pode ser você, ou alguém da sua família.


3 - Cada vez que você sai, o vírus pode voltar com você
O coronavírus é bastante resistente aos elementos, podendo sobreviver por horas e até dias em diferentes superfícies, segundo os últimos estudos. Ele pode ficar nas suas roupas, sapatilha, bicicleta, capacete, óculos e até nos pneus. Com isso, as chances de trazer o problema para dentro de casa e para as pessoas que você ama fica maior - afinal, é muito complexo, pra não dizer praticamente impossível, higienizar tudo.

Lembre-se que mesmo em um ambiente controlado como um hospital, repleto de profissionais totalmente protegidos e com muito mais experiencia em descontaminação do que um cidadão comum, existem muitos e muitos casos de médicos e enfermeiros pegando a doença.

Mesmo tomando todos os cuidados, é fácil esquecer alguns procedimentos. Para quem mora em condomínios, isso significa não tocar (ou higienizar a todo toque) maçanetas de portas, elevadores e até do seu próprio carro em prédios com manobristas.

Numa situação hipotética, você pode ter tocado em uma superfície contaminada sem lembrar e então vai tocar, no mínimo no seu guidon e freios se for uma bike urbana, mas podendo chegar aos trocadores de marcha, fivela do seu capacete, óculos, luvas, ciclocomputador e sapatilha numa bike esportiva.

Fonte: nejm.org/

Foto: QBike

4 - Sua imunidade pode baixar se você exagerar
Sim, treinar é super importante para manter a imunidade do corpo em alta. Porém, treinos pesados podem deixar você mais fraco e suscetível ao coronavírus e também para outras doenças. No momento, você não quer pegar nem Covid-19, nem gripe e nem nada que possa te deixar mais fraco ou que tenha que te levar ao hospital.

Lembre-se que você só tem um sistema imunológico e, diferente do que muitos acreditam, é possível pegar duas doenças ao mesmo tempo - o mesmo vale para treinos indoor, então tente pegar leve.


5 - Criminalidade - Uma particularidade do Brasil
Recentemente, um grupo de estudiosos britânicos emitiu um comunicado afirmando que sair para pedalar pode ser positivo para manter o sistema imunológico saudável e evitar a depressão causada pelo confinamento. Porém, a situação no Brasil é completamente diferente da Europa.

É bem sabido que, em tempos de crise econômica - e sim ela vai acontecer de forma nunca antes vista - os níveis de criminalidade tendem a aumentar. Serão milhões de pessoas desempregadas e, com certeza, uma parcela vai entrar para o mundo do crime.

Além disso, assim como você, o ladrão também precisa de dinheiro para se manter vivo. Lembre-se que as ruas estão desertas e que o número de possível vítimas é muito menor. Com isso, você com sua bicicleta são um alvo tentador.


6 - Descobertas sobre o o vírus ainda estão sendo feitas
Por ter acontecido muito rapidamente, a cada hora podem surgir novas descobertas, positivas ou negativas, sobre o coronavírus.Até semana passada, não era dito sobre a sobrevivência dele em superfícies, recomendando apenas manter distância para outras pessoas. Depois, foi dito que ele sobrevivia em superfícies por apenas algumas horas. Hoje, estudos já comprovam que ele pode sobreviver por alguns dias.

Da mesma maneira, já comprovado por dados, que jovens saudáveis também podem ficar em estado grave e que para eles "não é apenas uma gripe".

Outras informações ainda não 100% confirmadas, dizem que o vírus podem deixar sequelas ou de longa duração, podendo mesmo diminuir sua capacidade aeróbica.

Além disso, não é descartado que o vírus possa sofrer mutações e ficar ainda mais forte, reforçando ainda mais todas as medidas acima.


7 - Você pode ter problemas com a justiça e sua comunidade
Tanto a justiça quanto outras pessoas estão de olho em todas as atividades. Recentemente no Brasil tivemos o caso de ciclistas de que descumpriu a recomendação de isolamento depois de se exporem ao vírus e além de terem se tornado alvo em redes sociais, foram obrigado pela justiça a ficar em confinamento.

Na Europa, ciclistas já estão sendo multados e suas atividades monitoradas em redes como o Strava. Aqui no Brasil, embora a atividade não esteja proibida, com certeza já não é bem vista e, caso você tenha contato com alguém contaminado e saia para pedalar, o mesmo tipo de ação pode acontecer com você em caso de denúncia.


Conclusão

Ótima alternativa para o ciclista: usar rolo.
Embora a vontade de sair para pedalar e os benefícios da bike como esporte estejam para lá de comprovados, infelizmente agora é o momento de tentar manter-se dentro de casa o máximo possível. Lembre-se que, quanto mais pessoas contaminadas, mais tempo esta crise vai durar. Portanto, fique em casa e faça a sua parte para que o mundo saia desta situação o quanto antes.

A alternativa mais adotada para o ciclista é o jogo virtual Zwift, em que gente de todo mundo compete usando rolo de treinamento.

Para informações confiáveis sobre a pandemia, acesse o site da Organização Mundial de Saúde ou o site da ANVISA, Átila Iamarino - Especialista



Atualizações e Esclarecimentos - 23 Março

Foto: QBike

Desde a publicação do artigo, foram colocados muitos questionamentos, tanto em relação a informações que acreditávamos que já eram amplamente difundidas, quanto em relação às nossas fontes abaixo.


É importante lembrar que o artigo é voltado para quem quer usar a bicicleta de forma recreativa ou esportiva, fora de casa e especialmente em grandes cidades. A recomendação atual é ficar em casa, porém quem PRECISA se deslocar, a bicicleta é uma opção muito melhor do que usar transporte público, como discutimos neste artigo.

Como tudo que publicamos, o artigo teve todas as informações verificadas em fontes seguras e revisadas pelo médico citado. Vale lembrar que a cada minuto, informações podem mudar para melhor ou pior e é importante seguir fontes confiáveis.

Quanto a seguir as recomendações, nossa intenção é colocar os fatos científicos das melhores fontes. Cada um deve seguir conforme ache adequado, porém é preciso lembrar que esta é uma responsabilidade coletiva e quanto antes formos rígidos, mais rápido saímos da crise.

Sabemos sim que existem efeitos colaterais pra saúde física e mental em um isolamento prolongado. Ao mesmo tempo, estamos em um momento crítico de contenção, em que podemos evitar um maior pico de infectados. Acreditamos que conter a contaminação é menos reversível que tais efeitos colaterais do confinamento.



Nenhum comentário

Recent Post

Janio Rossa Cycling
Tecnologia do Blogger.