Biketech Floripa

domingo, 10 de fevereiro de 2013


Depois de algum tempo o Gente que Pedala retorna e em grande estilo!

O depoimento desta semana é do biker Alexandre Souza, também conhecido como Capitão pela Raça Medonha! Graças a persistência dele, existe hoje na Ilha um dos maiores e mais tradicionais grupo de bikers, o Grupo Duas Rodas MTB Floripa.

Ele começou a pedalar com mais regularidade para poder melhorar o desempenho em competições esportivas, mas hoje pedala também por prazer, fazer amizades e curtir a vida! :)

Espero que gostem de mais uma história Show de Bike!

CicloAbraços, Biker

Caros Amigos,

Quando criança, o presente mais esperado por todos, no natal, aniversário ou em qualquer data comemorativa, na maioria das vezes, era a bicicleta. Quando fomos apresentados, não imaginávamos que seria uma parceria tão significante. 

Brincava de bike como qualquer criança, ao redor de casa e redondezas e aos poucos ia conquistando territórios jamais imaginados por minhas próprias pernas. 

Depois com 11 anos, ganhei uma Caloi 10, tirei o guidão curvado e botei um de Mountain bike (semi reto), bike que tenho até hoje guardada, e ia do meu bairro de infância (a Costeira do Pirajubaé no sul da ilha) até ao bairro Carianos (Aeroporto) no campo de futebol da Base Aérea (Caravanas do Ar) distante 30 km (ida e volta), pra jogar futebol e na Trindade, no Paula Ramos, um clube, mais ou menos 15 km de distância (ida e volta), onde passava o dia fazendo atividades físicas, futebol, tênis, vôlei... e ao final do dia voltava pra casa cansado, mas feliz por ter a aventura completada com sucesso: era uma viagem imensa pra época, uma conquista e tanto. 

Depois por um tempo, com maior dedicação ao futebol e outros compromissos, deixei minha "Zica" em stand by. A vida deu várias voltas e depois de muito correr atrás de bola, com uma tendinite crônica e uma cirurgia do tendão patelar, estava na fisioterapia, de novo pedalando, agora pra me recuperar da cirurgia. 

Convidado pra participar de uma corrida de aventura, com atuação sofrível, resolvemos (grupo) treinar pra não fazer feio em outras edições, marcamos um dia de treino de bike, a quinta, sugerida por mim para nos confraternizarmos após nossas incursões noturnas, e por ser o dia mais próximo do fim de semana. 

Foi bacana, diferente e senti o quanto ela fez falta esses anos que esteve ausente, a bike, um reencontro, num momento importante de minha vida, estava precisando mudar de ares, deixar o mundo do futebol, no qual vivi toda minha vida, para fazer novas amizades, de outras tribos, outras opiniões , pensamentos diferente. 

Com o tempo vi que realmente tinha acertado, ainda mais, que a bike, sem impacto, preservava a integridade de nossos corpos. A fase de corrida de aventura, durou uns 2 anos, e depois aos poucos fomos desistindo, mas os pedais noturnos ficaram cada vez melhores. Formamos o grupo Duas Rodas, crescendo cada vez mais, integrantes de todo tipo, e com um só objetivo, fazer amizade e comemorar a vida, o que era muito legal. 

O grupo de amigos inicial foi dissolvendo-se, aos poucos, foram desistindo, mas resolvi ficar e apostar naquela iniciativa que me fazia feliz e várias pessoas que ali buscavam saúde e felicidade no esporte em grupo. 

Passado quase 8 anos e vendo o resultado, acredito ter feito a escolha certa: me sinto bem e feliz, os pedais me ajudam a enfrentar o estresse do dia a dia, conheci muitas pessoas incríveis, fiz muitas amizades sinceras, me sinto fisicamente bem (na época de futebol vivia sempre à sombra de pancadas e contusões), passeios e viagens inesquecíveis, o pedal da "santa quinta do pedal" está cada vez melhor, como vinho, e comecei a pedalar outros dias também, pois, um dia só já era insuficiente: hoje pedalo ao menos 3 vezes por semana (segunda, quinta e domingo pela manhã). E sempre tentando divulgar os benefícios que pedalar nos trás.  


Fiz o Audax 200 km quatro vezes, passeios pela serra catarinense e gaúcha, mas a aventura mais importante foi o Caminho de Santiago Compostela (Francês) feito em 2011 com um grupo de amigos, como o momento mais importante dessa jornada ciclística. 



Enfim, só tenho a agradecer a minha companheira bike, que tem me trazido só alegria e felicidade nesses anos..!! Valeu Raça Medonha!!

Att,
Alexandre Souza

11 comentários:

  1. Souza, meu abraço com carinho, meu reconhecimento pelo que faz pelo ciclismo, e meu agradecimento pelo que faz pelas pessoas que encontram no grupo duas rodas, idealizado por você, amizades que nao tem preço. Continue assim! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Capitão faz questão de receber a todos da melhor forma e se preocupa com todo o Grupo, passando uma sensação de segurança e unidade para os participantes da pedalada!

      Excluir
    2. Nosso lema é sempre acolher os inicantes e preservar a amizade entre os integrantes, para que tenhamos um ambiente agradavel para a pratica do cicismo em grupo. É muito gratificante ver essa turma unida divertindo se, praticando saude e fazendo novas amizades, isso não tem preço. valeu.
      Souza

      Excluir
  2. Eu fui uma das "passageiras" do grupo Duas Rodas! Um período curto e a oportunidade de conhecer pessoas bacanas, responsáveis e amantes da bike, como eu! Sei onde encontrá-los para a volta aos bons pedais! Obrigada pela dedicação de manter esse grupo de pessoas do bem! Meu grande abraço, Bianca Poffo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Bianca! Certamente, da mesma forma q vc, existem algumas centenas de ciclistas q já pedalaram e ainda pedalam com o grupo Duas Rodas!

      É muito lindo de se ver quando, numa "santa quinta do pedal", esta galera comparece em massa, fazendo festa pelos locais que passa pedalando.

      CicloAbraços!

      Excluir
  3. Oi Alexandre
    Que legal seu blog! Já estou te seguindo, meu marido é um cicloturista, e pedala a noite e nos finais de semana, meu filho mais velho de doze anos já pedala bem também, uma média de 100 km, estou falando de trilha. Quase fiquei doida quando meu marido comprou uma Merida o ano passado, mas valeu o investimento! Ele e o Daniel tem uma cumplicidade bem legal, o Fernando, o de seis anos, já está pedalando 26 km, eu também estou começando kkkkkkkk. Aqui na nossa cidade tem o Cicloturita que foi fundado pelo nosso amigo que já foi para o Deserto do Atacama e para a Argentina de bike, pedalamos todas as quintas, chamamos de pedal noturno, o intuito é levar as pessoas sedentárias a se exercitarem. Estarei mais vezes por aqui.
    Bjos. Fique com Deus!
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Grande Souza
    com certeza você é um dos responsáveis por eu estar hoje pedalando....e cada dia mais apaixonado por esse meu novo esporte......
    me lembro muito bem do primeiro dia do "raça medonha".....quando fui extremamente muito bem recebido por você e pela galera Duas Rodas.....
    naquele dia senti que estava diante da formação de mais um grupo de AMIGOS......
    muito obrigado por tudo...
    forte e grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Valeu parceiro! É sempre muito bom quando estamos reunidos para nossos pedais " Pedais medonhos". Nossa galera é divertida e acolhedora. Ficamos felizes a cada novo integrante da "Raça Medonha" . Valeu!!
    Souza

    ResponderExcluir
  6. Agora eu moro na Irlanda, aqui pedalo direto, praticamente diariamente e nos finais de semana saio com amigos para fazer trilhas, subir morros, montanhas, tudo de bike. Fazemos em media 70km for viagem, a maior ate hoje foi de 130km (maioria subida).

    Mes que vem estarei voltando ao Brasil e espero poder participar desses grupos, tenho muuita vontade de continuar minhas pedaladas aí..

    ResponderExcluir
  7. Super Souza, capitão, companheiro, amigo! Tenho orgulho de fazer parte do Duas Rodas,mesmo estando meio sumidinha dos pedais, ainda assim me sinto super integrante!!! Obrigada por me permitir fazer parte deste mundo, principalmente do Puxadinho!!! bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabizinha, nossa atleta e orgulho do grupo nas competições de MTB mundo a fora!! Serás sempre cria nossa, e como reza a lenda, bom filho a casa torna, estaremos sempre de braços abertos a te esperar, mas compreendemos que as competições e seus atropelos, fazem com que fiques ausente, mas não te preocupa, mesmo ficando com saudades de estar conosco, estamos na torcida por seus ótimos resultados, e quando quizer recarregar a bateria, vem nos vizitar. Obrigado e sucesso. Bj. Souza

      Excluir