Cicles Hoffmann

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Fonte: Blog FREE FORCE - publicação indicada pelo biker Tavinho


Iniciante ou não no mundo da bike, você provavelmente já ouviu falar na tecnologia TUBELESS, onde não é usada câmara dentro do pneu, da mesma forma que nos carros.

Quase que uma unanimidade, vem conquistando cada vez mais usuários, devido a todos os benefícios que proporciona. Existem opções para todos os gostos e bolsos, sendo que você pode dar preferência para um sistema desenvolvido ESPECIALMENTE para isso, com aros e pneus tubeless, ou o aro tubeless e pneus normais, ou pneus tubeless e aros normais e, até mesmo, adaptando seus aros normais com pneus normais e um kit “NO TUBES”.


ALGUNS BENEFÍCIOS:

Um dos principais benefícios fica por conta da melhora no atrito entre o pneu e o chão, uma vez que o tubeless permite que você utilize uma pressão menor nos pneus. Pneus com câmaras de ar não podem utilizar uma pressão tão baixa, pois se você passar sobre uma pedra, por exemplo, poderão ocorrer os famosos “snake bites”, aqueles dois furinhos que ficam na câmara, sem contar na maior facilidade de furo ou rasgo da câmara.


Ainda falando de furos, o sistema tubeless conta com um líquido selante especial, que faz precisamente o que o nome diz, ele sela furos ocasionados por pregos, parafusos e outros objetos não muito grandes. Ainda que em alguma situação de exceção o liquido selador não funcione, você pode executar pequenos reparos no pneu com os reparos para câmara de ar mesmo ou, caso tenha alguma à disposição, colocar a câmara e voltar ao sistema comum e seguir seu pedal.

Outra boa vantagem que leva alguns maníacos por peso à loucura é que a troca das câmaras pelo tubeless tira algo em torno de 500g do peso da sua bike. Bem legal, né? Ainda mais quando esse peso está nas rodas, onde o ideal é ter o menor peso possível.


AGORA, PARA EQUILIBRAR, ALGUMAS DESVANTAGENS:

Se você quiser adquirir um kit tubeless de melhor qualidade para suas rodas, como o da Stan’s No Tubes, vai pagar um pouco mais caro por isso, mas nada que desmereça o valor da tecnologia.

Se você pretende adaptar seu sistema convencional para um tubeless, precisa verificar se seu pneu conta com paredes de camadas duplas, caso contrário, pode não dar muito certo.



PARA ADAPTAR VOCÊ PRECISARÁ DE:

- Fita para proteção de aro para vedar o selante e impedir o mesmo de vazar pelos niples do aro.

- Bico especial para tubeless;


- Pneu (com a tecnologia Universal System Tubeless preferencialmente, ou os comuns, com paredes de kevlar, mas sem arame).

 - Liquido Selante (disponível em várias marcas e tamanhos nas mais diversas lojas de bike. Cada fabricante conta com uma recomendação de utilização específica, que pode variar entre 60 – 150 ml por roda em uma MTB).

Tenha em mente que por ser uma adaptação, não é 100% garantido que funcionará. Um dos problemas mais frequentes é o chamado “wall bleeding”, onde o selante vaza através dos poros da parede lateral do pneu, fazendo o mesmo murchar ou até mesmo o simples não selamento de um simples furo.

Outro defeito que pode ocorrer é o ressecamento do líquido selante dentro do pneu, que acontece pela errada utilização e manutenção do sistema.


O importante é ter em mente que essa adaptação não lhe trará todos os benefícios que um VERDADEIRO sistema tubeless traz, mas pode te dar um gostinho e ajudar a considerar a ideia de adquirir um sistema mais elaborado e apropriado futuramente.

Importante: Não esqueça de fazer uma verificação pelo menos a cada 90 dias no sistema, adicionar líquido ou mesmo remover o antigo e fazer uma limpeza.

Categories:

0 comentários:

Postar um comentário