Biketech Floripa

quinta-feira, 12 de maio de 2016

O fisioterapeuta e bike fitter Fernando Rianho explica o que gera a dormência no corpo durante o pedal e ensina como preveni-la

Fonte: Prólogo Ativo

Já aconteceu de você sentir dormência nas mãos, nos pés, pernas ou nas “partes íntimas” enquanto pedala ou mesmo depois do exercício? 

Se sua resposta for sim, fique atento (ou atenta). Apesar de ser comum ouvir relatos de ciclistas que sentem dormência no corpo durante o pedal, o problema deve ser tratado com preocupação, pois a longo prazo pode se tornar crônico e desenvolver consequências mais graves. Por isso, conversamos com o fisioterapeuta e bike fitter Fernando Rianho, que explicou as causas mais comuns da dormência no corpo durante pedal e ensinou como prevenir o problema.

Posição ideal
Antes de qualquer coisa, é necessário que o ciclista entenda que o corpo tem a tendência natural de buscar uma posição neutra, que seja a mais confortável para o tronco e membros superiores. Portanto, a posição ideal é aquela que o ciclista se encontra mais confortável, sendo uma variável extremamente individual.

Dormência nas mãos
As mãos são um dos principais pontos de contato do ciclista na bicicleta. Elas têm total influência no posicionamento dos braços, tronco e também do quadril sobre a bike. “Dependendo das características individuais de cada ciclista e do ajuste do cockpit, a pressão exercida na palma das mãos pode ser excessiva”, conta Rianho.

Assim, características individuais, como lesões e/ou alterações anatômicas, podem causar dormência, nas duas ou apenas em uma das mãos em alguns casos. O indicado é que você faça uma avaliação individual, com base em análise de exames de imagens e conhecimento de um profissional para chegar a um posicionamento neutro e confortável sobre a bike.


Fazer o Bike Fit é um ótima opção para se evitar
a maioria dos problemas listados nesta publicação
O que está errado?
Fernando afirma que a dormência nas mãos pode ainda ser ocasionada por uma posição errada na bike, mas que também pode haver outros fatores causadores. “A causa mais comum de dormência e dores nas mãos é o ‘drop’ – diferença de altura – excessivo entre o selim e o cockpit – guidã. Um cockpit muito baixo e muito longo normalmente não é o ideal. Ficar parecido com o seu ídolo “Pro Tour” não é a melhor maneira de ficar confortável na sua bike. Mas um cockpit muito alto e curto também pode ser o causador desse problema”, diz Rianho.

Quando os pés dormem
Junto às mãos e os quadris, os pés são um dos três pontos de contato do ciclista com a bicicleta, por isso também recebem bastante pressão durante o pedalar. “O problema pode ser ocasionado pelo posicionamento de forma inadequada dos tacos sob a sapatilha, gerando excesso de pressão em local inadequado na região do metatarso (osso localizado na base do dedão). Uma sapatilha muito apertada também pode levar à dormência”, afirma o fisioterapeuta.

Solução para os pés
No primeiro caso, é necessário procurar um profissional de bike fit para o correto ajuste dos tacos das sapatilhas. Em relação à sapatilha muito apertada, basta ajustar corretamente as fivelas e cintas de fixação para resolver o problema. Caso não resolva, o problema pode ser que o tamanho e/ou modelo da sapatilha seja inadequado para os pés do ciclista, sendo necessária a aquisição de um tamanho/modelo correto.

Dormência no períneo
É muito comum entre os ciclistas, podendo ser apenas um leve desconforto, que diminui ou desaparece ao alterar o posicionamento do quadril ou ficar em pé na bicicleta, mas também pode perdurar por horas (em alguns casos, até dias). “A pressão excessiva na região do períneo pode levar homens e mulheres a terem diminuição e/ou perda da sensibilidade local e/ou na região genital, e em casos mais sérios, encontra-se na literatura científica alguns casos de problemas reprodutivos nos homens”, explica Fernando.

Por que ocorre?
O ajuste inadequado do selim é um fator comum nesse problema, portanto um detalhe importante a se atentar. O ajuste correto da altura e angulação do selim fazem a diferença. Mas o principal e mais importante é estar com um selim adequado para as características físicas e de uso de cada ciclista.

Não esqueça da bermuda
Além do selim, também é recomendável dar uma boa pesquisada para escolher uma bermuda confortável para seu tipo físico. Existem no mercado modelos com diferentes tipos de forro, que podem fazer total diferença durante o seu pedal. Afinal, mesmo com seu selim favorito devidamente ajustado, a bermuda também estará entre vocês!

(Fonte: Fernando Rianho, ciclista, mountain biker, bike fitter e fisioterapeuta pelo Centro Universitário UniFEO)

Por Karina Dias

DICA DO BIKER
Fazer o Bike Fit é um ótima opção para se evitar a maioria dos problemas listados nesta publicação.
. Se você mora em Floripa ou numa cidade próxima, um ótima dica é contactar o Adolfo Perdigão (profissional experiente em Bike Fit):
  _ Emailadolfoperdigao@gmail.com  
  _ Fone: (48) 9808-8108 (TIM) 
  _ Facebook: neste link.

Categories: ,

0 comentários:

Postar um comentário