Biketech Floripa

terça-feira, 3 de junho de 2014

Qual sua opinião sobre este assunto tão polêmico? Deixe-a registrada nos comentários! :)

Fonte: Revista Bicicleta

Os novos tamanhos de rodas das mountain bikes têm gerado discussões decisivas para o desenvolvimento dos produtos e tecnologias para as próximas temporadas. Em meio às novidades das 29 e 27,5, será a extinção das tradicionais 26?

Escrevi diversas vezes sobre o tema dos tamanhos de rodas. Também fui entrevistado e perguntado sobre o assunto. Já fui contra e a favor dos novos tamanhos. A única certeza que tenho é que o mundo do mountain bike não precisa mais discutir se é preciso as rodas 650B (ou 27,5), pois para essa discussão já é tarde demais. O 650B está no mercado e faz parte do programa em 2014 de muitas marcas e fabricantes.


Nos últimos meses tenho trabalhado com lojas de bicicletas e tive a oportunidade de testar alguns modelos. Cheguei a visitar uma grande marca alemã de bicicletas, a CUBE, onde tive a oportunidade de trocar algumas ideias a respeito dos tamanhos de rodas com alguns dos projetistas, engenheiros e até mesmo com os atletas. 

Temo que as bicicletas com aros 26 polegadas estejam em risco de extinção, pelo menos aqui na Europa. O 650B ganha forte apoio da indústria ciclística e junto com as twentyniners são as que determinam o desenvolvimento e a inovação de novos produtos. 



A discussão 

Dificilmente outro tema tem sido mais discutido atualmente no mundo do mountain bike do que o tamanho das rodas: 26 ou 29 polegadas? Ou seria melhor o novo 27,5 – qual o tamanho ideal?     

A diferença no tamanho de raio entre um aro 26 e um 27,5 é de 12,5 milímetros. Já comparando o 27,5 ao 29, a diferença aumenta para 19 milímetros. Isso mostra que o 650B está bem mais próximo da clássica 26 e por isso alguns tendem a dizer que o 650B é o novo 26.

Para as mountain bikes com suspensão dianteira, também conhecidas como hardtails, a indústria tomou uma clara decisão, pois nessa categoria atualmente existem mais ofertas de twentyniners do que das clássicas 26. Fabricantes como a Specialized oferecem praticamente todos os seus modelos hardtails em 29 e cada vez mais modelos full suspension são lançados com tamanho 29 e o novo 650B. Enquanto a twentyniner domina o cross country, o 650B é visto cada vez mais na categoria all mountain.

Quais são as vantagens e as desvantagens entre os tamanhos de rodas? O que é possível calcular e medir? O que é sentido apenas durante a pedalada? Para dar um pouco de clareza sobre as verdades e inverdades, seguem algumas observações na perspectiva de um projetista de bicicleta, isto significa, sem emoções, apenas a matemática e a física. Abaixo seguem alguns dados técnicos interessantes:
  • Rodas grandes rolam mais confortáveis e seguras sobre obstáculos.
  • Quanto maior o diâmetro das rodas, mais tração na pedalada.
  • Rodas grandes exigem soluções técnicas para os problemas na construção de quadros, principalmente na parte traseira.
  • Rodas grandes criam uma relação desfavorável entre rigidez e peso.
  • Rodas de 26 polegadas são mais estáveis, principalmente nas torções laterais. Cargas ou forças radiais são menos críticas.

Até agora, os fatos. Mas como se sente tudo isso na trilha?     
O efeito mais marcante é durante a rolagem. Foram testados diversos tamanhos de rodas em um trecho semelhante com a mesma velocidade e observou-se as claras vantagens das twentyniners. Com menos força nos pedais foi possível manter a velocidade e nas curvas não se sentiu tanto a instabilidade das torções laterais, principalmente nas rodas.


Em uma pedalada com uma twentyniner se tem mais conforto durante a rolagem. Enquanto não se pedala por terrenos extremamente acidentados, existe uma estabilidade na pilotagem por causa da maior distância dos eixos das rodas e a maior parte traseira do quadro. Quanto mais técnico e acidentado o terreno, mais vantagens ao desenho compacto dos quadros das bicicletas com aro 26.

O que atrapalha para alguns ciclistas nas twentyniners são os tamanhos dos garfos e a posição alta de pilotagem, o que pode ser resolvido com a troca da mesa do guidão mais plana ou posição negativa, para baixo. 

Para os ciclistas com mais de 1,70 m de altura, o 650B proporciona uma boa alternativa para o clássico aro 26. Para ciclistas com mais de 1,78 m de altura, as twentyniners tem sido a melhor alternativa. Se realmente as rodas 26 tiverem em risco de extinção, será um problema para os ciclistas mais baixos, talvez esse seja mais um motivo para a preservação do clássico aro 26 no mercado da bicicleta, ou não?

Ainda hoje existe o mito de que as rodas de tamanho 26 foram usadas pelos “inventores” do mountain bike por serem estáveis, o que no entanto não é verdade. A verdade é que as cruiser bikes que foram usadas como base para as primeiras mountain bikes tinham o tamanho standard de 26 polegadas.

Naturalmente, rodas com diâmetros maiores serão mais pesadas, mas com o desenvolvimento intensivo de novos produtos e materiais para os 650B e as twentyniners, teremos em pouco tempo um grande leque de opções e peso. 

Pesquisa com fabricantes do mercado 

Aqui na Alemanha foi feita uma pesquisa sobre o tema tamanho de rodas com 45 fabricantes de produtos ligados ao mountain bike. A tendência é que a maioria das empresas está investindo no 650B no lugar do 26. Futuramente, eles veem o aro 26 como tamanho de aros para bicicletas de iniciantes e/ou na área do gravity (dirt, freeride e downhill), onde as bicicletas tem suspensões com curso de 160 mm ou mais.

As empresas acham que no período de três anos não haverá problemas com a reposição de peças para as bicicletas com aro 26, mas isso também depende muito da demanda no mercado.

Alguns números da pesquisa feita com 30 fabricantes de bicicletas e 15 fabricantes de peças e componentes:
  • 57% dos fabricantes de bicicletas imaginam poder manter um mercado com três tamanhos de rodas.
  • 73% dos fabricantes de peças e componentes não veem problemas em manter os três tamanhos no mercado.
  • 87% dos fabricantes de bicicletas oferecem, em 2014, bicicletas com aro 26, mas 65% deles, apenas na área para iniciantes ou gravity.
  • 80% dos fabricantes de peças e componentes terão em seus sortimentos, nos próximos três anos, peças de reposição para os aros 26.
  • 13% dos fabricantes de bicicletas planejam também em três anos, o desenvolvimento e fabricação de bicicletas aro 26, também fora do segmento para iniciantes e/ou gravity.
  • 13% dos fabricantes de bicicletas e peças veem para o futuro dificuldades para a reposição de peças para os aros 26 que será mais restringido.
  • 100% dos fabricantes de peças e componentes têm para 2014 oferta para as moutain bikes aros 26.

Qual o futuro das 26 polegadas, então?

Não temos uma bola de cristal para prever o futuro, mas fica claro que as bicicletas de aro 26’ saem perdendo com as inovações do mercado. A twentyniner é predestinada para pedaladas por trechos sem obstáculos extremos ou muito técnicos e por causa de suas ótimas propriedades de rolagem é indicada ao tour e ao cross country. 

Para bicicletas que necessitam de outros requisitos na geometria dos quadros, chega ao mercado o novo 650B para categorias como all mountain e enduro, visando até mesmo o freeride e o downhill, pois nessa categoria é possível ter rodas mais robustas, correntes mais curtas e assim uma geometria mais manobrável durante a pedalada.

Existem rumores de que em breve alguns modelos de bicicletas combinarão os tamanhos de rodas, isto é,  29 na frente para uma boa e confortável rolagem e 27,5 atrás para uma traseira mais compacta e ágil. 

Enquanto isso as boas e clássicas bicicletas de aros 26 perdem seu espaço para as maiores rodas e serão cada vez menos vistas, ou melhor, apenas vistas em categorias extremas como o dirt, freeride e downhill.

Todos que trabalham no ramo têm medo de perder uma tendência e ao mesmo tempo, ninguém sabe ao certo para onde segue essa viagem dos tamanhos de rodas. É claramente possível perceber, por meio da mídia especializada europeia ou nas feiras do ramo, que a indústria da bicicleta reagiu bem mais rápido com as rodas 650B fornecendo ampla variedade de produtos. As twentyniners, em seu início, sofreram bem mais para se impor aqui na Europa e a indústria demorou para desenvolver produtos.

Conversando com os entendidos da área e lendo muito a respeito é possível perceber que cada vez menos serão desenvolvidos produtos inovadores para os aros 26. Muitos fabricantes têm dado prioridade para o desenvolvimento das twentyniners e dos 650B.

No comércio, alguns lojistas alemães têm percebido também que a venda das bicicletas com tamanho 650B tem dado menos trabalho para convencer os clientes sobre as vantagens do tamanho de roda, do que as twentyniners. 

É claro que existem muitos céticos em relação às novidades. Um exemplo é quando lançaram os freios a disco e de quantos reclamaram da inovação na época. Hoje a maioria nem pensa em outro sistema de freio para a sua mountain bike. Se as 26’ serão extintas não dá para saber, mas que o mercado segue para o desenvolvimento de outras medidas, isso é evidente.

7 comentários:

  1. Ao meu ver, e para meu uso, tenho bicicleta aro 20, aro 26 e 700...., tudo depende do uso. Particularmente ainda acho que tem muito marketing por trás de tudo isso.
    Talvez em competições faça alguma diferença, agora para o Ciclista urbano, convencional, o famoso "bicicleteiro", o que importa é pedalar e ser feliz! hehehe
    E vamos pedalando de aro 20, 26, 29 etc....

    ResponderExcluir
  2. Aro 26 é ótima para trilhas e subidas íngremes-aro 27.5 trajetos mistos - aro 29 trajetos longos terrenos planos com subidas curtas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Chrystiann! E desejos de uma boa recuperação!

      Abraços!

      Excluir
    2. A inovação é válida sempre que vem para tentar realmente melhorar, mas concordo com o comentário anterior, hoje o que movimento o mercado é muito mais o ganho comercial que advém da inovação. Alguns anos atrás disseram e alardearam o fim das 26 pois a 29 chegou para tomar o mercado, muita polêmica e alguns "garganteando" uma melhora fabulosa com as novas 29, mas a matemática não mente é uma ciência exata, as 29 são mais pesadas para pelo tamanho e exigem maior força ou relação mais reduzida para as subidas... então tudo depende de quem usa, olhar um profissional que faz propaganda é muito bacana, mas para os amadores "bibicleteiros" (me considero um, com muito orgulho) não adianta pegar uma bike 26, 27,5 ou 29, seja de 350 reais vendida no supermercado ou aquela profissional de carbono de mais de 30 mil, ela não vai andar sozinha tem que ter alguém pedalando... então cada caso é um caso... para que usas a bike? como usas? o quanto usas? a quanto tempo usas? em que tipo de terreno e condições usas? O que me incomoda é quando alguns poucos querem ditar o que é melhor para todos, principalmente quando estes poucos são aqueles que, coincidentemente, estão fabricando ou vendendo o que dizem ser o melhor... ou pior, dizem ser melhor pois é o novo... Se eles lembrassem que pedalar é se sentir livre e leve, sem cobranças e sem competição, a não ser com teus próprios limites...talvez fossem mais humanos e menos comerciantes...

      Excluir
  3. Eu ainda penso no biker. Como uma pessoa de 1.50m vai pedalar uma 29er? Tenho 1.85 e acabei de comprar uma 29er e vivo me perguntando "porque eu não fiz isso antes". Sacou?
    A bike tem que ser "vestida". Tudo tem que acompanhar a proporção do biker. Se você calça 40 e o vendedor te oferece um 42 dizendo que o sapato é melhor e tem mais tecnologia, mesmo assim você compraria?

    ResponderExcluir
  4. Pois eu, na condição de bicicleteiro de plantão, que gosto de fazer alguns percursos um tanto mais longos, gosto de ir na minha peugeot, aro 700, com selim bruquis e suspensão dianteira. Apesar do peso do quadro, o conjunto da obra me ajuda a rolar macio e harmonioso. Já quando vou rodar nas bordas de montanhas, naquele sobe e desce macio, onde as cachoeiras buscam as beiras de barrancos, prefiro ir com uma gts, de alumínio, aro 26, só porque ela é mais 'ligeira', nas ladeiras em subida, e mais apimentada, nas longas descidonas. Quanto às relações entre o diâmetro das rodas e a disponibilidade de marchas, isto se encontra facilmente, na medida em que vamos nos entendendo, equipamento e equipado. Pra mim, que sou do tipo baixinho e leve, o quadro mais curto torna-se mais confortável pra fazer mover. Mais importante que os diâmetros, pesos, alturas, grossuras de nossas rodas, quadros, selins e guidons, é dimensão que queremos dar, para nossos momentos de alegria e liberdade, seja indo pro trabalho, ou para o distante desconhecido limite do logo ali.

    Huli Huli

    Luiz Pereira

    ResponderExcluir