Biketech Floripa

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Fonte: Fuji Bike
Dica: biker Geyson Serafin


1 - Comprar  um quadro de fibra de carbono exige alguns cuidados a mais do que quando se compra um de alumínio. Além do tamanho adequado para suas dimensões físicas, é importante escolher um fabricante conceituado e de confiança, pois nem todos os quadros e demais componentes de carbono são confiáveis. Informe-se principalmente com relação à resistência mecânica, pois há muitos casos de trincas e quebras que podem colocar em risco a integridade física do ciclista.

2 - Evite fazer modificações no projeto original da bicicleta. Mudanças de componentes podem alterar a relação de forças e criar pontos de tensão. Um quadro projetado para utilizar uma suspensão de 80 mm será submetido a forças bem maiores se receber uma suspensão de 120 mm. Isso vale para outros componentes como mesa, garfo, guidão e canote e para todos os tipos de quadros.

3 - Evite que o quadro tenha contato com produtos derivados de petróleo (benzina, tiner, gasolina, thinner, diesel, querosene, óleos etc). Lave a bike somente com água e sabão neutro.

4 - Proteja o chain stay do lado direito para evitar que as chicotadas da corrente arranquem o verniz que protege a pintura. Sem o verniz, a fibra de carbono lasca e o óleo da corrente penetra pelas microfissuras e, com o passar do tempo, vai dissolver a resina que aglutina a fibra.

5 - Ao notar uma área descascada ou um risco profundo no quadro, proteja-os imediatamente com esmalte de unha ou até mesmo com um decalque adesivo.

6 - Boa parte dos problemas com quadros de carbono são decorrentes de excesso de torque.  Ao instalar componentes que tenha contato com o quadro, (gancheiras, suportes de caramanhola, suporte do câmbio dianteiro, braçadeira de canote, aheadset, mesa, guidão e movimento central) sempre consultar o torque recomendado pelo fabricante. 

7 - Deve-se respeitar a inserção mínima do canote no quadro. O canote de selim deve estar pelo menos 130 mm dentro do quadro, ou pelo menos uma polegada (2,5 cm) abaixo da intersecção do top tube com o tubo de selim. Lembrando que esse padrão é diferente dos utilizados nos quadros de alumínio.

8 - Jamais utilize um canote de selim fora do diâmetro correto. Não use buchas ou calços para compensar a medida e também não "esmague" o quadro com aperto excessivo para prender o canote. Ambos os casos causam tensões no quadro. O canote não pode ter riscos, em especial na horizontal, para não fragilizá-lo e expor o biker a acidentes.

9 - Por motivo de segurança, alguns componentes de carbono têm que ser da marca consagrada. É o caso de quadro, mesa, guidão e do canote de selim.

10 - Não use graxa à base de petróleo e de sabão de lítio, pois atacam o verniz. Veja o item 3 acima.

11 - Em suspensões equipadas com steerers de carbono NÃO se deve usar aranhas (spiders) tradicionais. Suspensões com steerers de carbono devem somente utilizar spiders específicos para esse material. Aperto exagerado na mesa, quando o steerer é de carbono, também vai causar tensão no conjunto.

12 - Garfos de carbono de bicicletas de ciclismo requerem muito cuidado no momento do aperto do aheadset.

13 - Muito cuidado com a quantidade de arruelas espaçadoras (calços) do aheadset. Calços demais alteram a altura e criam pontos de tensão no conjunto suspensão-caixa de direção-quadro.

14 - Utilize somente lubrificantes recomendados pelos fabricantes. Consulte o manual do proprietário ou o site do fabricante para ver se o quadro resiste a um determinado agente químico.

15 - Componentes de fibra de carbono como guidões, mesas e canotes têm vida útil relativamente curta. Verifique no site do fabricante qual a durabilidade do seu componente. Não é raro ouvirmos de guidões e mesas que quebraram sem prévio aviso. 

Categories: , ,

2 comentários:

  1. Muito oportuna essa matéria. No último evento "FUGA" em São Pedro de Alcântara testemunhei um atleta que se machucou e o mesmo carregando um bike com o quadro quebrado ao meio. Importante se atentar.

    ResponderExcluir