Biketech Floripa

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Segue um excelente texto da Escola de MTB, com algumas adaptações sobre as principais dores que os ciclistas costumam sentir, bem como algumas dicas.

Fonte: Escola de MTB by 

Diversas pesquisas apontam que a grande maioria dos ciclistas sentem dores ao pedalar. Essas dores na maior parte das vezes são decorrentes de um ajuste incorreto de suas bicicletas em função de seus corpos.

Para isso existe o Bike Fit, um serviço de ergonomia feito para o ciclista. Durante o bike fit, o corpo do ciclista é medido e são feitas diversas análises com o ciclista na bike e fora da bike, para determinar as características do seu corpo, estilo de pedalada e uso que o ciclista fará da bicicleta.

Após essa todas essas análises, a posição do ciclista é ajustada em função de seu corpo.

Após 4 anos trabalhando com bike fit e uma experiência de centenas de fits realizados, pude constatar que algumas das dores mais comuns dos ciclistas podem ser facilmente resolvidas com algumas considerações básicas de posicionamento.


Ressalto porém que cada caso é um caso e talvez seja necessária uma avaliação mais a fundo para resolver o seu problema.

  • Dor no pescoço: As dores do pescoço estão relacionadas a uma posição do guidão muito agressiva (lê-se guidão muito baixo e/ou distância guidão-selim muito longa), ou a ponta do selim voltada para baixo. Com o guidão mal posicionado (e/ou o selim apontado para baixo) geramos uma descarga de peso grande nos braços e nos ombros, ou uma flexão exagerado do pescoço, o que acaba gerando dores na região do pescoço. Se você sente dores no pescoço considere alterar a posição do seu guidão, e procure um bike fit o mais rápido possível, já que o longo prazo você pode desenvolver uma lesão crônica nos ombros, pescoço ou coluna.
  • Dor Lombar: Estima-se que 80% dos ciclistas sinta algum tipo de desconforto lombar. É muito, não acha? A dor lombar geralmente está relacionada à falta de força dos músculos posturais (músculos do core – abdominais e paravertebrais) somada a um guidão baixo demais. Fique atento, se você não possuir uma boa flexibilidade, considere subir a altura do seu guidão. Além disso, que tal deixar de preguiça e levar a sério os exercícios de alongamento e de fortalecimento do core, hein? Algumas boas referências sobre este assunto são os artigos: A Dor da Instabilidade, Aspectos médicos do ciclismo e Ciclismo e Dor nas Costas.
  • Dores nos punhos: As dores nos punhos ou os casos de dormência na mão, normalmente estão relacionados à má distribuição de peso do ciclista sobre a bicicleta, o que pode impor muito peso sobre as mãos do ciclista. Outro problema muito comum é a falta de alinhamento das manetes de freio (e cambio) em relação às mãos do ciclista. O ideal, enquanto você estiver com as mãos no guidão, é que sua mão esteja alinhada ao antebraço (assista ao vídeo). Muita flexão ou muita extensão dos punhos irão gerar dores. Para saber um pouco mais sobre esta dor, leia o artigo Síndrome do Túnel do Carpo.
  • Desconforto ao sentar: O desconforto ao sentar, é mais comum aos iniciantes, que ainda não estão acostumados a descarregar o peso sobre os ísquios, mas esse desconforto tende a diminuir com o passar do tempo, no entanto é importante considerar a escolha do selim ideal e o correto ajuste do selim, que deve ser ajustado de acordo com o corpo dos ciclista.  Selins altos demais, contribuem bastante para o desconforto ao sentar.
  • Dormência nos pés: a dormência nos pés é outro ponto muito comum de desconforto entre os ciclistas (e mountain bikers). Esse tipo de desconforto pode estar relacionado à sapatilha apertada demais (não exagere no aperto das tiras da sua sapatilha) e ao mal posicionamento do taco do pedal. Para isso procure um bike fitter! Outro ponto que contribui bastante para a dormência nos pés é o uso de sapatilhas com solas moles (sabe aquelas sapatilhas que parecem tênis?). Esse tipo de sapatilha é muito bom para caminhar, mas ao pedalar a sola mais mole não oferece o suporte necessário para o ciclista.
Categories: ,

2 comentários:

  1. Existe uma grande chance dessas dicas terem me ajudado bastante. Estou com uma dor infernal no pescoço essa semana, e não sei do que já que não tinha mudado nada que eu lembrava nem feito esforço que justificasse.

    Mas ao ler o texto lembrei que minha mesa tá desregulada, o guidão apontado mais pra baixo, pq perdi uma peça da mesa e tive que enjambrar pra arrumar no meio do caminho. E ficou assim, desregulado. Grande chance de ser o culpado. Vou hoje mesmo reajustar o guidão :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De acordo com o texto, as chances do guidão mal posicionado estar causando as dores no pescoço são grandes. Se vc corrigir o problema e as dores passarem (ou não), conte aqui depois! :)

      Valeu CTM!

      Excluir