Biketech Floripa

segunda-feira, 1 de julho de 2013

A apresentação do biker Fábio Cristofolini, que ainda não tive o prazer de conhecer, foi muito bem feita por um outro biker, o Eldon Jung, um ciclista muito atuante e muito conhecido, principalmente em SC, na região de Blumenau e que, em breve, eu espero, nos brindará com seu depoimento. Seguem as palavras dele:
É verdade que eu recém conheci o Fábio na semana passada, em duas reuniões de trabalho da ABC(Associação Blumenauense Pró-Ciclovias). E o que me impressionou nele nem foi o fato de ele ser bem-falante, mas pelo fato de inverter aquela equação clássica na economia de que quem ganha mais economiza mais, Pois, agora, trabalhando de bicicleta ele fatura muito menos, porém, no fim do mês, sobra-lhe muito mais.
Como ele conseguiu isso? Conheça a resposta lendo outro depoimento Show de Bike publicado na colunaGente que Pedala.
CicloAbraços, Biker
Olá, meu nome é Fábio, tenho 36 anos, sou natural de São Bento do Sul, mas Blumenauense de coração.
Minha história com a bicicleta vem dos meus cinco anos, eu acho, quando ganhei minha primeira magrela. Lembro que meu Pai me levava ao campo de futebol do lado de casa pra aprender a pedalar e lembro bem que sempre andava com as canelas roxas porque o pedal escapava e voltava na canela. 
Com dez anos consegui, através de um escambo, a minha primeira Montain bike que era uma Monark Ranger. Fiquei com ela um bom tempo, mas depois, já adolescente e com carteira assinada, os investimentos aumentaram e a paixão pela magrela também. Foram várias marcas e modelos, umas compradas e outras no escambo, rolos que inclusive deixavam sempre minha mãe de cabelos em pé.
 
Vinte anos atrás veio o momento da faculdade e a vinda para Blumenau. Assim o primeiro pedal para uma vida nova tinha sido dado.
 
Durante muitos anos houveram muitas bicicletas em minha vida, sempre me acompanhando de uma maneira ou outra. Fazendo-me muito bem, tanto como meio de transporte, lazer ou me proporcionando algumas aventuras.
 
Porém fui envelhecendo e mudando minha concepção de qualidade de vida e comecei a achar que qualidade de vida se dava a partir de uma conta bancária forrada de dinheiro. 
Foi aí que mudei de vida de novo, mas agora de uma vida de esportes para uma vida sedentária. 
 
Alguns anos se passaram e o projeto sedentarismo seguia a todo vapor, fumante inveterado e praticamente um alcoólatra, ganhava muito dinheiro, mas, sem perceber, acompanhava de camarote a minha autodestruição. O sedentarismo e o estilo de vida foram me abatendo física e emocionalmente até praticamente me ver no fundo do poço.
 
Mas a escola da vida é sabia e nos ensina muitas coisas, às vezes de uma maneira um tanto quanto dolorida, mas sempre de forma certeira.
 
E assim foi, afinal aprendi que o fundo do poço era um bom lugar. Sim, porque dali só pra cima mesmo. 
 
Hoje depois de tantos tropeços, vitórias, decepções, conquistas e muita luta consegui recuperar meu espírito esportivo, meu conceito sobre qualidade de vida e principalmente; Voltei a pedalar!
 
Para que vocês entendam melhor, segue uma breve explicação de como foi a mudança.
Em 2012, pesando 90 quilos, atuando como gestor comercial na área de confecção e borbulhando stress, depois de muito pensar resolvi largar a mesa de escritório e mudar de vida. Virei proprietário de uma loja de produtos naturais, onde passava meus dias desenvolvendo fórmulas mirabolantes para driblar a concorrência e conquistar mais clientes. Das ações rascunhadas, uma era a mais óbvia e eficiente: ir até os clientes.
Conheço muita gente em Blumenau, e num primeiro passo, deixando o orgulho de lado, montei uma carteira razoável no shopping center próximo. Comecei com duas, três entregas, e em pouco tempo a demanda para as entregas superava o tempo necessário presente na própria loja.   
 
A contratação de um funcionário seria o próximo passo, mas além de não encontrar uma pessoa que mantivesse o nível especializado do atendimento, os encargos tributários acabariam engessando a evidente evolução do meu modelo de negócio. Foi nesse momento que tomei a decisão: “Vou vender a loja e montar um delivery de produtos naturais”. Vendi e investi na bike, equipamentos, acessórios e mais produtos naturais.
Aí nasceu com a ajuda de um amigo publicitário a “Mr. Natural – Delivery de Saúde“.
 
Montei roteiros diários pra atender a todos os clientes sem dispensar alguns momentos para bater um papo – assim acompanho a evolução de cada um, explico a função e uso de cada produto, converso sobre boa alimentação, cobro ingestão de água, etc…
No meu modelo de negócio eu não vendo apenas produtos naturais. Sou aquele cara que optou pela bicicleta como meio de transporte e passa entregando saúde. Priorizo o que é saudável e funcional, e viabilizo tanto pelo ato da entrega quanto vendendo a um preço justo.
Entregando com diferencial, adesivos motivacionais entregues junto com cada produto
Hoje vejo que criei não só uma oportunidade de negócio, mas sim uma oportunidade para mudança de vida. Se tornar saudável, praticar esportes, ter mais tempo para a família, praticar o ecologicamente correto, fazer o que gosto… 
 
Hoje digo com orgulho que a bicicleta faz parte da minha vida.
Categories:

0 comentários:

Postar um comentário