Biketech Floripa

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Quem sabe se este estudo for divulgado, os comerciantes daqui do Brasil não pedirão mais para retirar as ciclovias dos projetos de revitalização de avenidas, por exemplo?


Quanto mais ciclistas nas ruas, mais o comércio se fortalece.

Fonte: O Globo

Quem se incomoda com a concentração de lojas e serviços em grandes shopping centers e sente saudade das boas e velhas lojas de bairro deveria apoiar entusiasmadamente as ciclovias. Isso é o que aponta um estudo do Departamento de Transportes de Nova York, publicado em novembro passado.



O estudo "Measuring the street: New metrics for the 21st century" (algo como "Medindo a rua: novas métricas para as ruas do século XXI") detalha os dados utilizando pelo Departamento de Trânsito de Nova York para avaliar os projetos criados para a cidade.
Os objetivos são resumidos em projetar para garantir segurança, projetar para todos os usuários da rua e criar grandes espaços públicos. Para alcançar esses objetivos, eles propõem as seguintes estratégias:
  • Projetar ruas mais seguras, para oferecer opções seguras e atraentes para todos os usuários;
  • Construir grandes espaços públicos, para criar valor econômico e vitalidade nos bairros;
  • Melhorar o serviço de ônibus, para garantir trânsito rápido para além do metrô;
  • Reduzir os atrasos e a velocidade máxima, para garantir viagens mais seguras e rápidas;
  • Eficiência no estacionamento e carregamento, para melhorar o acesso aos negócios e bairros

O bacana do estudo é que ele não considera só as questões óbvias do tráfego de veículos. Claro que a necessidade de se garantir um bom fluxo, diminuindo o número de acidentes é tratada com seriedade, mas ele também avalia como um tráfego bem pensado incentiva uma economia mais dinâmica na cidade.
Isso é o que mostra a figura lá em cima. Na primeira ciclovia protegida dos EUA, entre 8ª e 9ª avenidas, em Manhahttan, houve uma queda de 35% no número de feridos entre todos os usuários da rua na 8ª e de 58% na 9ª - ou seja, ciclovias também protegem pedestres.
Já o número de vendas das lojas de rua aumentou na 9ª Avenida, entre as Ruas 23 e 31, em 49%, contra uma média de 3% em todo o bairro. Faz sentido, claro. É muito mais fácil parar e comprar alguma coisa legal que você vê numa loja se você estiver de bicleta do que de carro ou ônibus.
O estudo completo, em .pdf, pode ser baixado neste link e traz outros dados interessantes sobre medidas que levaram a diminuição de número de acidentes, diminuição da velocidade máxima com aumento de velocidade média, aumento do uso de ônibus, etc.



2 comentários:

  1. Legal!

    Quando as coisas são bem pensadas, bem projetadas, elas começam a funcionar.Tudo é uma questão de tempo e adaptação, assim como na seleção natural: quem sobrevive não é o mais forte nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta. Mudanças positivas, espero.

    CicloAbraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo!
      Valeu pelo comentário! :)

      Já li outros estudos q corroboram este texto: Cidades onde não há trânsito de motorizados na área central, o comércio vende mais...

      Pena que a vizinha São José teve a 'faca e o queijo' na mão para poder fazer com que a revitalização da av. Presidente Kennedy tivesse ciclovia, mas os próprios comerciantes pediram para tirá-la do projeto.

      CicloAbraços

      Excluir