Biketech Floripa

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Pedal instalado: Time ATAC
Até ontem, domingo, minhas duas bikes tinham o mesmo tipo de pedal: plataforma. Mas, após vários meses, alguns deles já com os acessórios disponíveis (pedal de encaixe, taquinhos e tênis específico), decidi mudar os pedais da bike Guerreira para pedais de encaixe (um Time ATAC).

Por que levei meses para trocar? Simples, receio de levar tombos! :) E ainda estou, só que resolvi encarar este meu medo, que possui um certo fundamento, pois já tive duas quedas, uma delas bem feia, em função de utilizar pedais de grampo e correias (ou, como também é conhecido, gancheira). Tudo bem que é outro sistema bem diferente, mas possui o mesmo problema: na hora do aperto, o biker pode esquecer que é necessário soltar o pé, antes de apoiá-lo no chão. E num pedal de plataforma, seu pé se encontra livre o tempo todo.

Bem, então, por que usar estes tipos de pedais que prendem o pé ao pedal? Para melhorar o rendimento e aproveitar praticamente toda a força que o ciclista faz ao pedalar: não somente quando abaixamos o pedal durante uma pedalada, mas também quando estamos trazendo o pedal para cima.

Agora é acostumar com o pedal, que usa outros tipos de músculos, e tentar não levar muitos tombos, até treinar meu reflexo para libertar o pé antes de apoiá-lo no chão! :)

Segue um texto bem interessante sobre a História dos Pedais.

Abraços, Biker!
  
História dos Pedais


Fonte do texto: Radical Bike



O tempo passou e evoluiu para os pedais também. Desde os simples pedais plataformas (aqueles comuns...) até modernos pedais de encaixe que temos hoje. São vários tipos de pedais, para diversas finalidades. Veja os principais tipos e sua aplicação.


Plataforma - Desde que bike é bike, eles existem e são mais ou menos isso aí. Existem modelos lisos, outros têm ranhuras para evitar que os pés escorreguem. Podem ser recobertos com borracha. O material pode ser aço, alumínio e até....(nhaaac!) plástico. A maioria possui refletores na dianteira e traseira.


De grampo e correias - É coisa antiga. Nasceu para equipar as bikes de corrida no princípio do século passado. Com os pés presos nos pedais, o ciclista produz mais energia, pois ele também puxa o pedal para cima durante a pedalada. Os pés ficam presos no grampo e nas correias. Apresenta sérios riscos, pois em caso de quedas, se o pé não desencaixar no ato da queda, a bike arrasta e pode ferir seriamente o ciclista. Hoje existem ainda bikes que vêm equipadas com esse tipo de pedal.


De encaixe - A evolução do pedal! O sistema clipless (sem grampo, em inglês) teve sua origem no esqui!! É sério! Os esquiadores dispunham de um sistema de encaixe de seus pés sobre o esqui. Os italianos da Cinelli foram os primeiros a usarem a cabeça e colocarem encaixe no pedal de bike. O pedal Cinelli's M71 foi o primeiro pedal de encaixe a ser conhecido, no início da década de 70. Os pedais de encaixe são muito seguros e se desprendem rapidinho dos pés, mesmo em caso de quedas rápidas e inesperadas. Funcionam com uma peça que é parafusada à sapatilha (os taquinhos, ou patilhas, em Portugal) que se encaixam aos pedais e aí ficam presos com o auxílio de molas tensoras. Só saem quando o ciclista fizer movimento lateral (para direita ou esquerda).


        No vácuo da Cinelli, a francesa Look, em abril de 1984, fez sucesso com um novo modelo de pedal de encaixe e o tipo Look domina o mercado até hoje. Conheça os modelos de pedais de encaixe existentes hoje no mercado.


Look - Quase 100% dos ciclistas brasileiros usam esse sistema. Oferece boa base para os pés. Os modelos melhores são os que possuem regulagem de tensão e de movimento lateral dos pés. As marcas mais comuns são a própria Look, Time e Campagnolo. A Cinelli inventou o clipless e a Look fez dele um sucesso comercial.




SPD - Utilizados no mountain bike. São pequenos e normalmente têm encaixe dos dois lados do pedal para facilitar o encaixe do pé. Os mais comuns são da marca Shimano, Well'Go, Scott e Specialized. Chatinhos de pôr e tirar o pé!






SPD-R - É a versão SPD para as bikes de speed, concorrente direto do Look. Se puder escolher, escolha o Look, que além de proporcionar uma melhor base para os pés (na subida é que se sente isso) ainda é mais fácil achar peças de reposição e taquinhos. Pouco usados no Brasil. Shimano é a marca mais conhecida desse tipo, aliás é a inventora desse tipo de pedal!




Time A.T.A.C - Concorrente direto dos SPD. São fáceis de encaixar e desencaixar mesmo no barro, diz a fábrica. Na hora da pressa é isso que importa! O sistema de regulagem de tensão é automático. Na foto um modelo em carbono com titânio.






BMX - São um misto de pedal plataforma com um encaixe tipo SPD no centro. São ótimos para praticar free-ride (passeio por trilhas e pelo campo) e para quem também anda de mountain bike pela cidade. Quando o biker quer apenas sair e passear de tênis, a plataforma está lá, para dar apoio aos pés. Boa invenção!






Speedplay - Pequeno pedal clipless, no formato redondo. Mesmo princípio dos outros pedais. Muito usado por triatletas norte-americanos. No Brasil está longe de virar moda.




Egg beater - Esse pedal fabricados nos EUA pela Crank Brothers é especialmente desenvolvido para a prática do mountain bike e tem esse nome devido à sua semelhança com um batedor de ovos. É bem compacto, e tem apenas o lugar para se encaixar o taquinho. Indicado para ciclistas mais experientes. Usa taquinho especialmente desenvolvido para o egg beater.

2 comentários: