Biketech Floripa

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A Bicicleta no Brasil

O Brasil, atualmente, é o terceiro maior produtor de bicicletas do mundo, com uma frota de mais de 60 milhões de unidades, sendo que 53% desse total é utilizado como ciclismo utilitário.

No entanto, apesar do grande número de bicicletas no Brasil - o quinto maior consumidor de bicicletas no mundo - a prática do ciclismo utilitário no país carece de medidas que incentivem um maior uso pela população.

A maioria das nossas grandes cidades ainda não possui uma infraestrutura básica que permita às pessoas utilizarem diariamente a bicicleta para irem ao trabalho, à escola, para a transmissão de mensagens e para a entrega de bens de serviços. Ainda faltam medidas de planejamento urbano que melhorem a qualidade da estrutura cicloviária existente e implante novas opções. Além disso, é necessário atentar a população para os benefícios do uso da bicicleta em deslocamentos na cidade, de forma a combater a idéia de que o ciclismo praticado em vias públicas é perigoso e inviável.

A falta de informações sobre os benefícios do uso da bicicleta e a cultura de 'endeusamento' dos automóveis, só nos distancia da utilização da bicicleta como meio de transporte eficiente e ecológico, perfeitamente adaptável ao estilo de vida das grandes cidades.


Mobilização pela Mobilidade

Como dito anteriormente, são inúmeros os benefícios e as vantagens trazidos pelo uso da bicicleta para deslocamentos de curta e média distância. O que talvez nem todos ainda sabem é que essa é uma prática cada vez mais valorizada e incentivada por um conjunto de pensamentos e ações adotados em grandes cidades de todo o mundo que buscam novas alternativas para a questão do transporte. Diversas capitais mundiais adotaram políticas públicas para o incentivo do uso da bicicleta, com a criação de ciclovias e estacionamentos exclusivos em pontos estratégicos, a tomada de medidas de desvio de tráfego de automóveis para fora das vias utilizadas por um grande número de ciclistas e pedestres, além de medidas de redução de velocidade nos grandes corredores. Essas políticas se inserem num novo modo de pensar o trânsito e o transporte nas grandes cidades que surgiu com o conceito de mobilidade urbana sustentável.

Mobilidade Urbana abarca o conjunto de deslocamentos de pessoas e bens no espaço urbano. Para isso são utilizados os diversos meios de transportes existentes. Esses deslocamentos, no entanto, não podem acontecer colocando em risco a vida das pessoas, trazendo impactos para o meio ambiente e principalmente exaurindo os espaços viários das cidades. Ou seja, o atual modelo que privilegia o automóvel não é sustentável.


Plano de Mobilidade Urbana

Uma boa sugestão de um plano de mobilidade urbano deve ter como principal objetivo proporcionar o acesso amplo e democrático ao espaço urbano, estimulando o uso e a integração de sistemas de transporte público e não motorizados e a utilização de sistemas eficientes sob os pontos de vista ambiental e energético. Seu foco deve se concentrar nas pessoas e na política pela mobilidade urbana sustentável, contribuindo para a qualidade de vida e o desenvolvimento econômico e social da cidade.


Fonte: Construindo a Mobilidade Urbana Sustentável; Nas Ruas de BH
Nro 6 - Bicicleta : "Você roda em mim e o mundo, embaixo de você".

0 comentários:

Postar um comentário